Dia a dia

Inaugurada há cinco meses, Orla do São Raimundo sofre com infraestrutura precária

Bueiro entupido exalandomau cheiro, iulminação pública comprometida, além de segurança insuficiente, são alguns dos problemas apontados pelos moradores vizinhos ao parque Rio Negro-foto: Marcio Melo

Bueiro entupido exalando mau cheiro, iluminação pública comprometida, além de segurança insuficiente, são alguns dos problemas apontados pelos moradores vizinhos ao parque Rio Negro-foto: Marcio Melo

Entregue à população há quase cinco meses, o parque Rio Negro, no bairro São Raimundo, Zona Oeste, já apresenta sinais de abandono. Moradores e usuários do espaço reclamam que parte do local se encontra interditada e sem energia por conta de um esgoto a céu aberto, o qual contaminou a área com um forte odor. Além disso, sem a segurança necessária, é cada vez mais frequente a presença de usuários de drogas no espaço público.

Segundo moradores, um ofício solicitando a liberação de aulas para prática de educação física e treinamento funcional já foi encaminhado à Secretária de Estado de Cultura (SEC) há mais de dois meses, mas não houve retorno. Eles afirmam que a SEC disse não poder liberar o funcional por questões burocráticas e que não é responsável pela manutenção da orla.

O autônomo Franz Arruda, que mora ao lado do parque, ressalta que a situação é de completo abandono. “A nossa atual situação é enfrentar o mau cheiro. É forte demais o odor, está poluindo toda a área; nós que moramos bem do lado temos que inalar tudo isso. Antes as pessoas procuravam o parque para passear em família, hoje elas acabam se afastando por causa dessas coisas que acontecem na orla”.

Segundo ele, a infraestrutura do parque caiu muito em relação ao primeiro mês de uso. “Antes tínhamos 15 guardas, hoje em dia se tiver cinco é muito, sem falar na iluminação precária que temos. Tem dia que metade do parque fica no escuro, comprometendo e muito a segurança das pessoas que transitam à noite”, observou.

O espaço que poderia ser usado para caminhar com tranquilidade, passear com as crianças, relaxar e encontrar amigos, está cada vez mais sendo subutilizado por não oferecer a segurança devida aos frequentadores.

“Ontem meu filho foi passear na orla e não tinha quem suportasse o mau cheiro horrível. Além disso, estamos sem segurança, os guardas que temos aqui são poucos; de repente acontece algo aqui, eles não vão dar conta de tudo. O complexo aqui é enorme”, contou a comerciante Itamara Freitas.

A comerciante ainda ressaltou que parte da iluminação do parque está há dias sem funcionar, o que a incomoda devido à perda da clientela. “A cada dia que fica sem iluminação, vou perdendo meus clientes. Quem vai querer fazer compras no escuro? Ninguém! As pessoas transitam aqui com medo”, observou.
A administração do parque Rio Negro informou que nos próximos dias a Andrade Gutierrez, empresa responsável pela manutenção da orla, estará cuidando de toda a parte que foi interditada. Para que a população continue a usufruir de lazer e esporte, até a próxima semana, um profissional de educação física dos quadros funcionais da SEC irá oferecer orientações de atividades físicas no parque Rio Negro.

SEC trabalha para corrigir erros

Em nota, a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) informou que recebeu o espaço somente após a conclusão das obras. Naquela ocasião, a secretaria detectou defeitos na obra, como de esgoto e de iluminação, e desde então vem fazendo um trabalho junto à Secretaria de Região Metropolitana de Manaus (SRMM), que tem se empenhado em resolver os problemas com a construtora da obra, Andrade Gutierrez.
A nota da SEC também informa que há segurança 24 horas por dia, todos os dias, no parque Rio Negro. E que o espaço conta com dois transformadores de luz em perfeito funcionamento.

Sobre a autorização de uso do espaço para a realização de treinos funcionais, a SEC esclareceu que suspendeu, temporariamente, as atividades que vinham sendo realizadas no local depois de denúncias recebidas pelo Comitê de Gestão Estratégica, de que a atividade estaria sendo cobrada, o que é ilegal em um parque público, fato que está sendo apurado.

Por Lindivan Vilaça

1 Comment

1 Comment

  1. pablo

    14 de setembro de 2015 at 10:54

    Uma obra entregue repleta de falhas no projeto?? Ninguém do governo fiscalizou o andamento dessa construção?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir