Economia

Impostos pesam até 72% no preço dos brinquedos; lojistas diminuem lucro para não afetar vendas

Com o peso da carga tributária, somado a crise econômica, levou para baixo a expectativa sobre o volume de vendas - foto Márcio Melo

Com o peso da carga tributária, somado a crise econômica, levou para baixo a expectativa sobre o volume de vendas – foto Márcio Melo

Com uma carga tributária que pode chegar até 72% sobre os produtos com potencial para presente do Dia das Crianças, lojistas de Manaus estão adaptando suas margens de lucro, a fim de garantir preço bom para o consumidor.

Há 12 dias da data comemorativa, num ano que a expectativa de crescimento na cidade é de 1,1%, segundo pesquisa da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), alguns lojistas começaram a sentir a boa reação no movimento das vendas.

Com o peso da carga tributária, somado a crise econômica que diminuiu o poder de compra das famílias e levou para baixo a expectativa sobre o volume de vendas, a adaptação dos preços para este ano se fez necessária, segundo a gerente da loja Brinkelândia, Elisangela Costa.

“Estamos trabalhando uma margem de lucro que não fique pesada para termos preço bom para o cliente”, disse.

Diferentemente de 2014, a gerente observou que um dos sintomas de crise é a dificuldade de identificar quais os produtos do momento para essa data, e nem a febre mundial do Pokémon garantiu a ele esse destaque.

“Nos dois últimos anos não conseguimos identificar o produto do momento. Há uma alta procura pelo Pokémon e bonecas das linhas ladybug e baby alive, mas nenhum está na categoria de destaque”, afirmou.

Segundo o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, automaticamente, o comércio já herda uma carga tributária das esferas estadual e federal em torno de 40%. Para sobressair nesse momento difícil, o comerciante vai ter que mexer na sua margem de lucro.

“A carga tributária no Brasil é pesada e, no geral, a média desse peso é de 49 a 50%. E num ano de crise, quem comprar melhor e adaptar o preço da prateleira vai vender mais”, avaliou.

Hoje, no Brasil, a carga tributária sobre eletrônicos como videogame é de 72,18%, sobre tênis importados é de 58,59%, já sobre tablets importados é de 47,59%, conforme dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Entre outros produtos de interesse das crianças, o estudo mostra ainda a incidências de tributos sobre patins (52,78%), bicicleta (45,93%), brinquedos (39,70%) e telefone celular (42,69%).

Para fugir dos altos preços das lojas sobre produtos eletrônicos, a professora Gisella Vieira Braga, 32, que prometeu aos três filhos – dois meninos e uma menina -, o jogo Just dance 2017, de X-Box, pesquisa pela internet. Para dar também os celulares, que acordou com eles, Gisella que trabalhava com festas infantis, está negociando em grupos de troca de WhatsApp e se desfazendo de fantasias como Frozen e Branca de Neve.

“Todo processo de compra ou permuta, eu faço pelos meios digitais. O jogo está R$ 170 no site Mercado Livre”, contou a professora.

Inmetro

No primeiro dia da operação especial do “Dia das Crianças 2016”, do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), que foi realizado nesta quinta (29), o total de 857 brinquedos foi apreendido com irregularidades em 30 estabelecimentos comerciais do Centro de Manaus.

Segundo a assessoria do Ipem-AM, a operação segue até o próximo dia 5 de outubro nos centros comerciais da cidade para verificar se os brinquedos atendem aos regulamentos técnicos estabelecidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Por Emerson Quaresma do jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir