Dia a dia

Impasse ambiental na BR-319 deve ser solucionado com ‘envelopamento’, diz governador

Projeto elaborado pelo governo, segundo Melo, será encaminhado ao Ibama e, posteriormente, ao governo federal, para as análises devidas - foto: divulgação/Nathalie Brasil

Projeto elaborado pelo governo, segundo Melo, será encaminhado ao Ibama e, posteriormente, ao governo federal, para as análises devidas
– foto: divulgação/Nathalie Brasil

O governador do Amazonas, Jose Melo (Pros) anunciou nesta quinta-feira (19), em uma das atividades da 8ª Feira Internacional da Amazônia (Fiam), que o governo está trabalhando em um projeto técnico para solucionar o impasse ambiental que impede a conclusão da pavimentação da rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho). Segundo o governador, a ideia é proteger uma área de preservação que envolve 400 quilômetros de um trecho da estrada.

O projeto está sendo finalizado para ser encaminhado e discutido com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e, posteriormente, enviado ao governo federal. Durante o evento, coordenado pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e que contou com a presença de representantes da classe empresarial e de instituições financeiras, o governador garantiu que o projeto vai apresentar a solução definitiva para a BR-319, que é fundamental do ponto de vista logístico para o Estado.

“Temos alguns desafios em relação à Zona Franca de Manaus, mas vamos falar da BR-319, que é um deles, que nos permite uma ligação direta com o Sul do país, onde temos o maior mercado consumidor dos produtos da ZFM”, afirmou o governador, ao falar dos principais entraves à economia do Estado. O projeto vai propor o “envelopamento” de um trecho de 400 quilômetros de estrada que vai do Igapó-Açu até a divisa com o município de Humaitá, uma área de preservação ambiental que tem sido o principal entrave dos ambientalistas para a liberação da obra. De acordo com José Melo, o projeto propõe que o Exército Brasileiro seja o guardião da área.

“Ali temos a mais rica biodiversidade do Amazonas. Não adianta querer fazer uma estrada tradicional num ambiente desse que não vão deixar”, disse o governador, ao revelar que o projeto é semelhante ao que já existe em estradas europeias que passam por áreas de preservação ambiental. “Você mete tela de um lado e outro. De um em um quilômetro faz um túnel para os animais passarem e pega o Exército para que seja o fiador da preservação ambiental desses 400 quilômetros. Dessa forma, a gente tira todos os obstáculos que há e agrada aos ambientalistas ”, observou.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir