Sem categoria

Imóveis de alto padrão estão na contramão do mercado Amazonense

O Planejamento informou que vai autorizar a alienação de 119 imóveis, com valor estimado em R$ 522 milhões, em 2016 - foto: divulgação

 foto: divulgação

Enquanto os imóveis construídos para atender a classe C sofrem com a baixa procura por conta do momento de instabilidade econômica, os empreendimentos de luxo mantêm o segmento aquecido. Lançado nesta segunda-feira (9) pela construtora Colmeia, o La Maison é um dos investimentos do setor, que na contramão do mercado já conta com vendas na planta.

Orçado em R$ 80 milhões, o empreendimento que será construído na esquina das ruas Teresina e Recife, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul. O La Maison conta uma única torre com 28 apartamentos de 220,04 metros quadrados, 279,40 metros quadrados e 338,45 metros quadrados. Oito deles já foram vendidos de forma antecipada, de acordo com o presidente da Colmeia, Otacílio Valente.

Para ele, a obra será um marco para a cidade de Manaus. “As unidades mais altas sempre são as mais disputadas. Os dois duplex superiores já foram vendidos. Foi quase como uma encomenda. Quando o projeto ainda estava nascendo já tinha gente interessada. Eu acho que nós não estamos num momento para dizer que tudo será vendido em 30 dias, mas eu acredito que é um produto que não deve durar mais de um semestre”, avaliou Valente.

O La Maison foi concebido, segundo o presidente da Colmeia, com o objetivo de atender o público classe A de Manaus. Os apartamentos contam com quatro suítes, varanda gourmet com churrasqueira e quatro vagas de garagem. O empreendimento deve ser entregue em 24 meses a partir do momento em que suas obras forem iniciadas, o que deve acontecer dentro de seis meses.

“O preço médio do metro quadrado está variando entre R$ 8,5 mil a R$ 9 mil. É um empreendimento totalmente diferenciado. Os materiais a serem utilizados nele são de altíssima qualidade. Tudo está sendo pensado para ele como um produto que não vai ter nada parecido em Manaus, do mais alto nível”, explicou Valente.

Salão

Neste mês, a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM) vai movimentar o setor com a realização do 1º Mega Salão Imobiliário Ademi, que acontece nos dias 20, 21 e 22, das 10h às 22h, no Centro de Convenções do Manaus Plaza.

Além de reunir um grande número de empresas como Aliança Incorporadora, Construtora Colmeia, Cristal Engenharia, Patrimônio Manaú, Platinum Construções, RD Engenharia, Engeco, Tecnisa, PDG, Direcional, SKN Incorporadora, Capital Rossi, Rede de Imóveis da Amazônia (Rimam), Smartimob, Ação Imobiliária, entre outras, os clientes que comprarem durante o Salão poderão encontrar promoções com descontos imperdíveis.

Se para os imóveis de alto padrão a crise econômica do país não exerce tanta influência, o mesmo não pode se dizer para os empreendimentos que dependem do financiamento para atender a classe média. De acordo com a vice-presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Amazonas (Sindimóveis-AM), Jane Picanço, o mercado imobiliário local deve fechar o ano com queda de 30% em relação a 2014.

 

Segundo ele, no ano passado o volume de vendas de imóveis foi fraca. Mas, em 2015 a queda foi mais impactante. “Quem tem dinheiro para investir é o momento, porque conseguirá um preço adequado. Com o mercado em alta, os preços dos imóveis que estavam superfaturados, voltam ao patamar de normalidade dos preços. Hoje, quem está ditando a regra é quem pode comprar sem o agente financeiro”, afirmou Jane, que prevê um 2016 melhor.

 

Por André Tobias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir