Sem categoria

Idoso agredido e torturado por filho morre no João Lúcio

O Idoso foi agredido com marteladas e depois torturado com fio eletrico -divulgação

O Idoso foi agredido com marteladas e depois torturado com fio elétrico -divulgação

O aposentado José Fernando Leão Piro, 75, morreu durante a madrugada deste domingo (15). Ele estava internado no Hospital-Pronto Socorro João Lúcio, Zona Leste, deste da última sexta-feira (13) quando foi agredido com marteladas e torturado com fio elétrico, pelo próprio filho identificado como Marcelo da Silva Piro, 44, que está preso.

O fato ocorreu na residência onde os dois moravam, localizada na comunidade Campos Sales, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

De acordo com filha da vítima, a cuidadora de idosos, Karem Helen Sena, 31, no dia que aconteceu as agressões, Marcelo que segundo a mulher sofre de esquizofrenia, teve um ataque e imaginou que o pai tinha pegado a furadeira dele, o que o deixou muito irritado.

A mulher ainda relatou que o irmão aumentou o volume da televisão e começou as agressões contra o pai, que chegou a implorar que o filho parasse com a tortura. Devido ao volume da TV está alto vizinhos não escutaram de imediato os pedidos de socorro da vítima.

Após perceber que o pai estava muito machucado, o homem ligou para o Serviço Móvel de Urgência (Samu) e alegou que o aposentado tinha passado mal. Ele ainda chegou a limpar toda a casa para não parecer que houve as torturas.

Os agentes do Samu, ao chegarem ao local, desconfiaram da situação e acionaram a polícia. Vizinhos da vítima também acharam estranho a história contada pelo suspeito e começaram a agredi-lo até a chegado dos policias.

Ele foi preso em flagrante e conduzindo ao 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP) onde em depoimento confessou que torturou o pai, na ocasião ele foi autuado por tentativa de homicídio, agora deverá responder por homicídio.

Marcelo está preso na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital, onde ficara à disposição da justiça.

Por Mara Magalhães

Com informações de Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir