Sem categoria

Ídolo do Nacional, Marialvo morre aos 72 anos

Marialvo deixa sua esposa, Maria Bulbol e duas filhas, Giselle Bulbol e Danielle Bulbol - foto: divulgação

Marialvo deixa sua esposa, Maria Bulbol e duas filhas, Giselle Bulbol e Danielle Bulbol – foto: divulgação

Dia 11 de abril de 2016 ficará para sempre na história como um dia negro para o futebol amazonense. Na manhã de ontem, faleceu o histórico goleiro Marialvo. Aos 72 anos, o ídolo nacionalino já vinha lutando contra uma série de doenças que o impossibilitava de sair da cama. O ex-jogador fez parte do histórico time do Nacional composto por Marialvo, Pedro Hamilton, Sula, Berto e Théu: Mário e Rolinha; Zezé, Rangel, Pretinho e Pepeta, que se sagrou bicampeão estadual em 68 e 69.

Presidente do Nacional, Mario Cortez lamentou a morte do grande ídolo do clube. O dirigente lembrou que Marialvo fez história na década de 60 e que se tornou um baluarte no Leão da Vila Municipal.

“Recebemos com muita tristeza. Foi um atleta que participou do super time de 68 e 69. Mesmo sabendo que já vinha doente há algum tempo, recebemos com muito lamento. Apresentamos o pesar a família, pois o Marialvo foi um baluarte no clube”, afirmou Cortez que confirmou que na próxima partida, o clube fará um minuto de silêncio em homenagem.

Companheiro de Marialvo no Nacional, Pepeta não conseguiu conter a emoção ao lembrar do amigo. Em meio as lagrimas, o ex-atacante só conseguiu afirmar que estava muito triste com a notícia.

O goleiro iniciou sua carreira na categoria de base do América. Foi justamente nesse período que conheceu o atual vice-presidente do Nacional, Manoel do Carmo Chaves, mais conhecido como Maneca, que na época, defendia as cores do time de base do Leão.

“Ele foi um ídolo, conheci desde o tempo de juvenil quando eu jogava pelo Nacional e ele pelo América. Ele morou no Rio de Janeiro, enquanto eu estudava por lá. Íamos jogar futebol de salão no aterro do Flamengo. Ele vinha doente há alguns anos, não foi assim de uma hora para outra. A família era muito reservada. É um lastima. É um amigo, serviu muito ao futebol amazonense. Lamentamos, mas chegou a hora”, pontuou Maneca.

Por Thiago Fernando

2 Comments

2 Comments

  1. Vicente limongi netto

    12 de abril de 2016 at 00:57

    Também lamento a morte do Marialvo. Deus vai recebê-lo com o carinho que ele merece.

  2. Orlandino Lopes

    12 de abril de 2016 at 00:50

    Agora não adianta lamentar, Cortez e Maneca vocês ajudaram quando em vida precisou? Eu ajudei Graças a Deus. Descanse em PAZ meu amigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir