Dia a dia

IBGE: pesquisa mostra perfil de estudantes no Amazonas em relação a sexo e drogas

 Uma série de temas foi abordado com os estudantes do Estado – foto: arquivo AET


Uma série de temas foi abordado com os estudantes do Estado – foto: arquivo AET

Aproximadamente, 2,6 mil alunos ou 4,5% dos escolares do 9º ano do ensino fundamental amazonense admitiram que usaram drogas nos últimos 30 dias anteriores à coleta de dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), divulgada nesta sexta-feira (26), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa, realizada em 2015, contou com o apoio dos ministérios da Saúde e da Educação, e analisou mais de 102 mil questionários de alunos de todo o país, das escolas públicas e privadas, na faixa etária dos 13 aos 15 anos. Entre alguns tópicos abordados, além de drogas e bebidas alcoólicas estão cigarro, aparência física, bullying, iniciação sexual, alimentação, acesso à internet, entre outros.

Em 2015, de acordo com a Pense, aproximadamente, 59,4 mil escolares cursavam o 9º ano do ensino fundamental em todo o Amazonas, sendo uma pequena diferença de 87 pessoas em favor das mulheres (29.793) e dos homens (29.706). A maioria desses estudantes estavam na rede pública de ensino (51,8 mil) e 4 mil na rede privada.

A estimativa total de escolares frequentando o 9º ano do ensino fundamental em escolas que informaram possuir sala ou laboratório de informática em condições de uso foi de 73% ou 43,3 mil alunos. Na rede privada, este índice alcançou 77%, enquanto na rede pública foi de 72%.

No Amazonas, ainda é baixo o quantitativo de alunos do 9º ano do ensino fundamental em escolas que informaram que os alunos têm acesso à internet por meio de equipamentos da escola (64,7%), o que equivale a 38,4 mil alunos de um total de 59,4 mil. Na rede privada este percentual sobe para 69% e na rede pública para 64%. Entre os Estados da Região Norte, o Amazonas possui o terceiro menor percentual neste indicador, ficando atrás apenas do Acre, com 64,2% e do Pará com 45,8%.

Sexo
O total de 41,1% dos escolares do 9º ano do Amazonas admitiu ter mantido relação sexual alguma vez. O percentual dos homens alcançou 51,7%, enquanto entre as mulheres foi de 30,7%. Entre os alunos da rede pública de ensino o índice foi de 43% e os da rede privada 17%. O percentual amazonense foi bem acima da média nacional, de 27,5%; e também coloca o Estado como o segundo maior índice a nível nacional, atrás apenas de Roraima com 41,4%. Os estados da região Norte encabeçam a lista nacional para o quesito.

Outro fator importante a ser destacado entre os escolares que declararam já ter tido relações sexuais é o uso de métodos para evitar a gravidez ou doenças sexualmente transmissíveis na última relação sexual. O percentual de alunos que declararam ter feito uso de algum método foi de 63,7%. Os homens demonstraram menor preocupação (60,3%) que as mulheres (69,3%). Os escolares da rede pública foram 63,4%, já os da rede privada 72,8%.

Outros 80,9% dos escolares amazonenses do 9º ano admitiram que receberam orientação, na escola, sobre prevenção de gravidez. O índice coloca o Amazonas como o terceiro melhor percentual entre os Estados do Norte e do Nordeste. Entre as mulheres, o índice foi de 83%, já entre os homens foi de 78,8%. Na rede pública, 81,1% dos estudantes ouviram a orientação, e na rede privada o percentual foi de 78,9%.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir