País

HSBC tem falha no sistema, e clientes enfrentam problemas para usar cartão

O sistema do HSBC apresenta falhas e clientes têm dificuldades para realizar operações bancárias desde o começo da manhã deste domingo (13). Saques ou depósitos em caixas eletrônicos, pagamentos com cartões e internet banking foram afetados.

De acordo com o SAC da empresa (0800.729-5977), houve uma falha de comunicação do sistema generalizado. O atendente informa que o sistema está restabelecido, mas há ainda alguns problemas pontuais.

Alguns internautas manifestaram indignação nas redes sociais, relatando que ao tentar pagar uma conta com cartão, por exemplo, não conseguiam.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa do banco, mas não obteve retorno até às 18h.

Hsbc e Bradesco

No início de agosto, o Bradesco comprou a operação brasileira do HSBC por US$ 5,186 bilhões (R$ 17,6 bilhões), diminuindo a diferença para o Itaú, maior banco privado do país.

O valor da operação ficou acima do previsto pelo mercado. Analistas esperavam que o banco fosse comprado por R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões.

O maior interesse do Bradesco está na clientela de alta renda do HSBC, sexta maior instituição financeira do país em ativos. O banco tem cerca de 10 milhões de clientes, uma rede de 853 agências e receitas da ordem de R$ 10,6 bilhões.

A integração entre os bancos só começará após a aprovação dos reguladores. Mas mesmo após esse procedimento, segundo o Procon-SP, não poderá ocorrer mudança de serviço ou de custo em prejuízo do cliente. Além disso, o Bradesco já se comprometeu a oferecer os mesmos produtos e serviços aos clientes vindos do HSBC.

Quanto às facilidades no exterior oferecidas pelo HSBC, também há um compromisso por parte do Bradesco de, por meio de sua rede de parceiros internacionais, continuar oferecendo os mesmos serviços ao cliente. Também não está descartada a possibilidade de o HSBC ainda realizar esse serviço fora do país.

No caso dos clientes do Bradesco, o banco ainda estuda estender os produtos e serviços do HSBC aos seus demais clientes. O Procon-SP, no entanto, alerta que o banco não tem essa obrigação estabelecida em contrato.

Também não há definição sobre a possibilidade de agências do HSBC próximas a outras do Bradesco fecharem. No caso da fusão entre Itaú e Unibanco, por exemplo, a maioria das agências nessa situação foi preservada porque não havia capacidade de uma agência receber mais clientes.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir