Dia a dia

Hospital pretende realizar transplante de coração no AM

O coração deve ser transferido para outro corpo humano em até quatro horas – Arquivo AET

O sonho de quem espera um transplante de coração no Amazonas pode se tornar realidade. Segundo a coordenadora estadual de transplantes e médica especialista no assunto, Leny Passos, existe um projeto do Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM) para realizar o procedimento desse órgão.

“No Amazonas, podemos realizar transplantes de rins e fígado. Quanto os tecidos, também são realizadas transplantações de córnea, mas existe um projeto em andamento para realizar transplantes de coração”, disse Passos.

A médica explica que os órgãos não são guardados como livros em uma biblioteca ou caixas de arquivo; assim que aparece um doador já se deve ter, também, um recebedor compatível. “Cada órgão tem um tempo específico fora do organismo até ser implantado em outro paciente. O coração, por exemplo, deve ser transferido para outro corpo em até quatro horas. Em média, realizamos a transplantação dos rins e fígado por serem órgãos que duram mais tempo fora do corpo e termos estrutura médica para realizar esse tipo de procedimento cirúrgico”, informou Leny Passos.

O médico cirurgião e ex-diretor do Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), Pedro Elias, afirmou que o projeto para transplantes de coração no Amazonas estava em fase de auditoria na unidade hospitalar durante sua gestão, em 2015. “Esse trabalho era uma parceria entre o HUFM e o Instituto do Coração da Universidade de São Paulo. O projeto estava seguindo todos os protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde, ainda em estudos”, informou.

Projeto em andamento do hospital Francisca Mendes pretende fazer transplantes de coração no AM

Estatística

Conforme dados do governo federal, em 2015, foram realizadas no Brasil 23.666 cirurgias de transplante de órgãos, sendo 95% dos procedimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Em mais da metade das operações (58%), 13.793 pacientes receberam novos corações saudáveis. Os transplantes de rins estão em segundo lugar: foram 5.409 cirurgia, o que corresponde a 23% de todos os procedimentos. Ao todo, 41.236 pacientes estão cadastrados. O rim é o órgão mais demandado: 25.077 pacientes esperam por um transplante renal. Em seguida, vêm as córneas
(12.686) e o fígado (2.193)

Como doar órgãos?

À princípio, qualquer pessoa que tenha tido a morte encefálica confirmada pode se tornar doadora de órgãos. Esse é um quadro irreversível em que é diagnosticada a parada total das funções cerebrais. São realizados testes para certificar os médicos e a família da parada do órgão. Em geral, isso ocorre após traumatismos cranianos ou acidentes vasculares. Contudo, apesar da falência do cérebro, o coração continua batendo e é a irrigação sanguínea que mantém os órgãos viáveis para doação. A circulação é mantida artificialmente, por meio de aparelhos, enquanto a Central de Transplantes é avisada e a família é notificada. Os órgãos só podem ser doados com autorização da família.

Bárbara Costa
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir