Economia

Honda lança a CG 160, de olho no mercado de 2017

CG 40 anos é um modelo de volume limitado para o Brasil, mas que ajudará nas vendas dos modelos de 2017 - foto: Márcio Melo

CG 40 anos é um modelo de volume limitado para o Brasil, mas que ajudará nas vendas dos modelos de 2017 – foto: Márcio Melo

As empresas do polo de duas rodas da Zona Franca de Manaus (ZFM) já se preparam para uma recuperação em 2017. A Moto Honda da Amazônia, nesta terça-feira (4), em comemoração aos 40 anos de atuação no Estado, anunciou um potencial de produção de 2 milhões de motocicletas por ano, já para 2017, de olho no possível reaquecimento do mercado.

A montadora japonesa aproveitou a festividade ainda para lançar o modelo comemorativo CG Titan 160 40 anos, que deve dar um fôlego às vendas da família CG.

A Moto Honda manteve investimentos em qualidade, tecnologia e treinamento de corpo funcional, possibilitando um poder de produção de 2 milhões de motocicletas por ano, para quando o mercado reagir e a demanda aumentar, com a alta das vendas.

No atual momento de crise, a empresa fechou a expectativa de produção de 2016, em torno de 1,1 milhão de motos, diante da expectativa inicial de 1,3 milhão. Antes da crise, a Honda chegou a produzir 1,6 milhão unidades de motocicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM).

O presidente de relações institucionais da companhia, Paulo Takeuchi, observou que mesmo com as definições políticas que aconteceram no país, a recuperação efetiva do setor virá apenas em 2017.

“Diante da crise que o país ainda enfrenta, acreditamos que somente na virada do ano daremos início ao crescimento. O mercado está parado, porém, a Honda mantém os investimentos para que, na retomada das vendas, saiamos mais uma vez na frente. Sempre acreditamos no modelo Zona Franca de Manaus (ZFM)”, afirmou Takeuchi.

Neste ano, a Honda completa 40 anos de mercado, marcado pela produção da primeira motocicleta no ano de 1976, em Manaus, a linha CG. Em comemoração a esse marco, a companhia lançou ontem um modelo limitado, a CG Titan 160.

Segundo o diretor comercial da Honda, Alexandre Curi, o exemplar chega com mudanças no design mais arrojado e terá um preço aproximado da atual Titan 2017. “É muito mais um modelo comemorativo do que um modelo de alto volume. Mas, com certeza, ela vai ajudar a vender a família CG, tanto quanto a Titan 160, a Fan 160, a Fan 125 e até a família cargo”, salientou.

Preço

O preço da nova GC 40 anos será divulgado apenas na próxima quinta-feira (6), quando ela chega às concessionárias Honda. Alexandre adiantou apenas que o valor final ficará levemente acima do valor da atual Titan modelo 2017. “O preço em conta vai facilitar ao público-alvo e o cliente em geral para que tenha acesso. Não faz sentido ter alto preço e ficar com a versão só para nós”, brincou. Alexandre disse ainda que caso a aceitação do público seja boa, a Honda vai aumentar a produção.

A motocicleta terá produção exclusiva no Brasil e não será exportada para outros países, como acontece com outros modelos de CG para venda em massa que também são produzidos em alguns países da Ásia.

A produção foi iniciada agora em outubro e deve seguir até janeiro de 2017. Já em novembro, todos os clientes que comprarem qualquer exemplar da linha CG vão receber um adesivo comemorativo dos 40 anos da marca.

Mais de 7 mil de unidades desde 1976

A Honda CG é o principal modelo da Honda em toda a história da indústria de carros e de motos da montadora japonesa. Somente no Brasil, desde 1976, são quase 7 milhões de CG 125, além da CG 150 (agora 160), que começou a ser fabricada em 2004 e já soma mais de 4,8 milhões de motos. Além do Brasil, a linha CG também é vendida em outros países do continente asiático.

Disponível na cor branca, a versão 40 anos da CG contará ainda na rede de concessionárias da Moto Honda do Brasil com três anos de garantia mais sete trocas de óleo grátis. Ela estará à disposição na rede de concessionárias Honda a partir do dia 6 de outubro.

Caravana

Em comemoração aos 40 anos de atuação no Amazonas, a Moto Honda lançou também a Expedição CG 40 anos, feita por cinco jornalistas que se dividiram em dois grupos e saíram ontem de Manaus com destino a São Paulo, em uma viagem de 6 mil quilômetros por dois trajetos. Um deles pelo Centro-Oeste brasileiro, que vai durar 12 dias (via Roraima e Mato Grosso), e outro em 29 dias, passando pelo Pará e pela Região Nordeste.

Além de promover a festividade da Honda, a viagem vai servir para os jornalistas produzirem um documentário sobre a incidência das CGs em todo Brasil, que ultrapassa 11 milhões de exemplares.

Por Joandres Xavier
Jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir