Dia a dia

Homossexual se recusa a fazer sexo e acaba morto com cinco facadas

O crime ocorreu no bairro Alfredo Nascimento, Zona Norte- foto: Arthur Castro

O crime ocorreu no bairro Alfredo Nascimento, Zona Norte- foto: Arthur Castro

Um homem identificado como Mário da Silva Lopes, 30, foi assassinado com cinco facadas, ao se recusar a manter relações sexuais com o suspeito. Vizinhos informaram que Mário era homossexual e costumava levar os parceiros a sua casa. Conforme testemunhas, no momento do ataque, a vítima e o assassino assistiam filme pornográfico.

O crime ocorreu na quitinete nº 7, onde a vítima morava, na rua 4, bairro Alfredo Nascimento, Zona Norte, por volta das 11h de ontem. De acordo com uma testemunha, a vizinha de quarto da vítima, cuja identidade não foi revelada, escutou os gritos de socorro e foi até a quitinete saber o que se tratava.

“Depois que ela bateu. Um homem (o suspeito) abriu a porta e já saiu correndo. Ela (vizinha) encontrou Mário jogado no chão da casa ensanguentado e com vários golpes de faca no pescoço. Ela saiu pedindo ajuda, mas ele morreu em minutos”, disse.

Ainda conforme a testemunha, ao retornar à quitinete da vítima, um membro de uma igreja notou que a vítima estava com uma nota de R$ 2 no peito e a TV exibia um filme de canal adulto. “Ele (vítima) morava com uma irmã dele e não saia muito de casa. Todos estranharam a morte brutal. Mas todos comentam que ele costumava se prostituir e trazer os parceiros para sua casa. Isso deve ter ocorrido por Mário ter se recusado a manter relações com o suspeito. A faca usada pelo assassino foi levada pelos peritos que vieram aqui”, detalhou a testemunha, completando que alguns vizinhos saíram correndo em perseguição ao suspeito, mas não conseguiram alcançá-lo.

Policiais militares da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) realizaram patrulhamento nas proximidades do local do assassinato, mas não obteve êxito.

Em nota, a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que a Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS) não compareceu ao local do fato, porém está a par do crime e já iniciou os devidos procedimentos. A pasta não informou o motivo do não comparecimento da equipe. Em contrapartida, investigadores da especializada informaram que não foram ao local do crime por falta de efetivo.

Por Thaís Gama

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir