Dia a dia

Homem que aparece em vídeo hostilizando a pesca esportiva no Amazonas é multado e indiciado por crime ambiental

Em consequência das infrações cometidas, o Ipaam aplicou duas multas ao empresário - foto: reprodução

Em consequência das infrações cometidas, o Ipaam aplicou duas multas ao empresário – foto: reprodução

Após a divulgação, nas redes socais, de um vídeo em que um homem aparece hostilizando a pratica da pesca esportiva, na qual os peixes são devolvidos a natureza, o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) do Amazonas identificou na tarde desta terça-feira (12) o empresário que aparece nas imagens.

De acordo com o Batalhão, após tomarem conhecimento do fato, foi montada uma operação de patrulhamento em parceria com o Instituto de Proteção do Meio Ambiente do Amazonas (Ipaam), na comunidade do Apuau, área rural de Manaus, onde provavelmente o videio foi gravado.

Chegando ao local, os policiais se deparam com o empresário – que não teve o nome revelado – e outras duas pessoas, cujos nomes também não foram divulgados. Com eles foi apreendida uma quantidade de tucunaré acima do limite permitido, e constatou-se ainda que estavam utilizando arpão e diversos outros materiais de mergulho profissional, que não são autorizados para a pesca pelo órgão de proteção.

A embarcação utilizada pelos homens também foi apreendida. Nenhum dos suspeitos tinha autorização para a prática de pesca de qualquer natureza.

Os homens foram levados para a sede do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde o empresário foi indiciado por crime ambiental.

Em consequência das infrações cometidas, o Ipaam aplicou duas multas ao empresário, sendo uma no valor de R$10.600 mil e outra no valor de $10.000 mil, totalizando R$20.600 mil.

O Batalhão Ambiental ressaltou que para o exercício das atividades de pesca no estado do Amazonas deve ser obtida, junto ao Ipaam, licença que só será válida para os locais indicados.
Com informações da assessoria

1 Comment

1 Comment

  1. claudio melo

    13 de janeiro de 2016 at 13:33

    Interessante que é um empresário, mas o sujeito é sem nome. se fosse um qualquer seria joão da silva , servente, ajudante de pedreiro,
    é demais !
    Traduzindo: o infrator não tem nome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir