Cultura

Historiador Joel Rufino dos Santos morre aos 73 anos, no Rio

Especialista em cultura e herança africanas no Brasil, o historiador e escritor carioca Joel Rufino dos Santos, 73, morreu nesta sexta-feira (4), no Rio, em decorrência de complicações de uma cirurgia cardíaca.

Rufino estava internado na Casa de Saúde São José, no Humaitá, zona sul do Rio, onde fez uma cirurgia no dia 1º de setembro, para corrigir um problema numa válvula cardíaca.

Filho de pais pernambucanos, nascido no subúrbio de Cascadura, zona norte do Rio, Rufino formou-se em história na antiga Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil (atual UFRJ), onde também começou a sua carreira de professor.

Sua militância política o forçaria a deixar o país após o golpe de 1964, vivendo na Bolívia e no Chile. O exílio não só interrompeu a sua vida acadêmica, como também fez com que não participasse do nascimento do seu primeiro filho.

Voltou ao Brasil semi-clandestinamente e foi preso três vezes -na última delas, cumpriu pena no Presídio do Hipódromo (1972-1974 ).

Rufino ganhou dois prêmios Jabuti: um na categoria literatura infantil, com “Uma Estranha Aventura em Talalai” (1979), e outro na juvenil, com “O Barbeiro e o Judeu da Prestação contra o Sargento da Motocicleta” (2008).

Joel Rufino dos Santos era casado com Teresa Garbayo e deixa dois filhos e quatro netos. Seu corpo será cremado na tarde desta sexta, no Cemitério do Caju, no Rio.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir