Eleições 2016

Hissa apresenta projeto para maximizar resultados administrativos a empresários em Manaus

Hissa explicou que a ideia de dividir Manaus em subprefeituras foi pensada ainda como saída para descentralizar os diversos serviços oferecidos aos cidadãos - foto: divulgação

Hissa explicou que a ideia de dividir Manaus em subprefeituras foi pensada ainda como saída para descentralizar os diversos serviços oferecidos aos cidadãos – foto: divulgação

Durante uma reunião com empresários locais, o candidato à Prefeitura de Manaus pela Coligação “Novas Ideias, Novo Caminho” (PDT/PSDC), Hissa Abrahão, apresentou a divisão da capital amazonense em subprefeituras como uma de suas propostas para reduzir a níveis significativos a burocracia do sistema administrativo.

Calcado na otimização dos processos de governança pública, o projeto de Hissa aposta na flexibilidade dos resultados e soluções para as demandas de cada uma das seis zonas geográficas de Manaus a partir da capacidade de integração entre os sistemas administrativos.

Hissa explicou que a ideia de dividir Manaus em subprefeituras foi pensada ainda como saída para descentralizar os diversos serviços oferecidos aos cidadãos, o que dará maior celeridade ao atendimento de forma mais específica. Ele ainda fez questão de ressaltar o caráter estratégico e a redução de custos de forma sustentável a partir das respostas imediatas que serão dadas à população pela administração zonal.

“É na subprefeitura que se pode reivindicar melhorias, fazer reclamações ou receber informações sobre os serviços prestados pelo Município naquela região, onde o bairro se encontra, o que vai facilitar a administração e manutenção das melhorias dos ambientes públicos. A ideia é simplificar o trâmite administrativo e dar respostas rápidas em obras de reparo, manutenção e conservação de ruas e bueiros, por exemplo”, asseverou Hissa aos empresários.

Descentralização

No evento, Hissa Abrahão afirmou ainda que a economia terá muito a ganhar com a descentralização na agenda dos trâmites administrativos, vez que a revitalização ou recuperação mais célere dos espaços urbanos significará em um upgrade ao comércio dos bairros. Citando dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ele criticou fato de os bairros mais periféricos e com maior concentração populacional terem sido abandonados à própria sorte pela atual administração, o que explica o grande número de obras inacabadas ou ainda por fazer. “A Zona Norte com seus dez bairros é a mais populosa de Manaus. Uma vez criada, a subprefeitura para aquela área, por exemplo, deve atender mais de meio milhão de habitantes, algo em torno de 501 mil pessoas”, explicou.

Números

Em termos percentuais, a Zona Centro-Sul com os seus sete bairros registrou 28,2% de crescimento populacional nos últimos cinco anos, o que corresponde ao segundo maior aumento de moradores em toda a cidade. A proximidade com o Centro e o comércio forte nos sete bairros da zona atraíram mais pessoas para a área, o que resulta o total de 152.753 moradores.

Por outro lado, em números relativos, a Zona Leste de Manaus é a segunda maior em número de habitantes. Os 11 bairros da área abrigam mais de 392 mil pessoas.

Já a Zona Oeste tem hoje 253.589 moradores, enquanto os cinco bairros da Centro-Oeste abrigam o total de 148.333 moradores se somados as populações dos cinco bairros que compõem a região.

Das cinco áreas de Manaus, a Zona Sul é a menor em termos de moradores. Os 18 bairros que a compõem, incluindo o centro da cidade, abrigam atualmente pouco mais de 286 mil residentes. “Não conhecia ele pessoalmente, mas vejo que ele é um rapaz com boas ideias para Manaus. Esse plano de descentralizar o gerenciamento dos serviços prestados para a população mostra a capacidade dele de estabelecer políticas de manutenção permanente. É disso que a população e a economia local precisa para reagir mais rapidamente à crise. Chega de ruas esburacadas e bueiros sem tampas. Isso é ruim para a população e para a imagem do comércio da cidade como um todo. Esse é o papel que todo prefeito deve ter”, explicou o empresário Alfredo Magalhães, que atua no segmento de bens de informática na Zona Norte.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir