Cultura

Hêmilly Lira canta hoje, no Fino da Bossa, “meu som é pop e eu sou da Amazônia”

O show desta sexta-feira é o primeiro de uma série de cinco apresentações – foto: divulgação

O show desta sexta-feira é o primeiro de uma série de cinco apresentações – foto: divulgação

A cantora Hêmilly Lira apresenta nesta sexta-feira (19), no Fino da Bossa, o show ‘Meu som é pop e eu sou da Amazônia’, em mais uma demonstração da sua versatilidade artística, que vai do regional ao global sem nunca perder sua identidade.

A apresentação, que começa às 22h30, é cercada das expectativas do novo projeto da cantora, que deve lançar seu primeiro disco ainda este ano.

A receita do sucesso da apresentação é simples, mas rica em detalhes. É uma mistura de flautas indígenas e guitarra, charango e teclados. Acrescente canções de Música Popular Brasileira (MPB), de cantores como Djavan, Lenine e Vanessa da Mata.

O repertório inclui hits de artistas internacionais, entre elas Rihanna e Gwen Stefani. Não ficam de fora também músicas autorais, como ‘Nossa História’ e ‘Sigo em Frente’.

“O show ‘Meu som é pop e eu sou da Amazônia’ tem a cara das pessoas por ser plural, ousado, livre. Quando estou no palco, respiro e vivo a música, e essa atmosfera contagia meu público, graças a Deus! Fazer um show pop assim permite expressar o que sinto e vivo de forma universal”, destaca a cantora.

E é paixão que faz Hêmilly Lira homenagear grandes artistas nacionais e mundiais sem esquecer as referências da música local. “As toadas amazônicas estão sempre entre as mais pedidas dos meus shows e, claro, estarão nessa apresentação. Minha carreira solo está atrelada ao boi-bumbá, um ritmo que também é a cara da nossa gente, popular na sua essência”, lembra a cantora, de sangue parintinense.

O show desta sexta-feira é o primeiro de uma série de cinco apresentações do ‘Meu som é pop e eu sou da Amazônia’. É também o início do projeto do CD. “O disco será de pop, mas terá influências amazônicas em algumas faixas. Usaremos instrumentos como as flautas quena e charango e efeitos de percussão característicos da região. As músicas que vão receber esses novos arranjos são conhecidas do público e têm uma pegada pop. Este sempre foi meu sonho, e é só o início”, afirma.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir