Mundo

Hamas critica Israel após ataque que matou grávida na Faixa de Gaza

Após ataque aéreo na Faixa de Gaza que matou uma mulher grávida e a filha de 2 anos, o grupo islâmico palestino Hamas, que controla o território, cobrou de Israel o fim da “loucura” e “atos sem sentido” na região.

“Avisamos o ocupante [Israel] de que não deve continuar com esta loucura e estes atos sem sentido”, disse em comunicado o porta-voz do Hamas em Gaza, Sami Abu Zuhri. O palestino disse que o ataque aéreo mostra “a vontade [israelense] de escalada”.

O ataque foi realizado antes do amanhecer deste domingo (11), depois que dois foguetes foram disparados de Gaza em direção ao sul de Israel, que não deixaram vítimas, de acordo com o Exército.

Um dos foguetes atingiu um campo aberto no sul de Israel e o outro foi interceptado. Israel justificou que o alvo do contra-ataque eram duas fábricas de armas do Hamas, mas a retaliação atingiu uma grávida palestina, Nur Hassan, 30 anos, e a sua filha Rahaf Hassan, 2 anos, e destruiu a casa onde moravam, segundo informaram médicos. Mais três pessoas estavam presas embaixo dos destroços da casa da família, na zona de Zeitun, na Faixa de Gaza.

 

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir