Cultura

Haitiano expõe pinturas em avenida de Manaus

Peças retratam a região amazônica, objetos, cotidiano e podem ser adquiridas na frente da Paróquia São Geraldo – foto: Márcio Melo

Peças retratam a região amazônica, objetos, cotidiano e podem ser adquiridas na frente da Paróquia São Geraldo – foto: Márcio Melo

Quem passa pela avenida Constantino Nery, uma das vias mais movimentadas de Manaus, já deve ter visto as obras de artes do haitiano, Makendy Melis, expostas na frente da Paróquia São Geraldo. Conhecido como “ Misterioso” pelos amigos, o artista plástico de 19 anos, que desenha desde os 10 anos, encontrou na arte uma aliada para expressar seus sentimentos.

As peças são inspiradas em objetos e cotidiano das pessoas. Mas, também têm obras que retratam a fauna e flora da região amazônica, explica o artista.

“ Eu amo o que eu faço.  Eu gosto de pintar a realidade, muitas das minhas obras falam sobre mim. Eu gosto de desenhar todos os estilos, desde o realista ao abstrato, qualquer tipo de foto eu desenho”, disse o haitiano.

Sobre o apelido “ Misterioso” que se tornou a assinatura oficial nas obras de artes. Ele disse que surgiu quando morava na Venezuela, um apelido carinhoso, colocado por amigos.  “Eu participei de muitos concursos de pinturas na Venezuela, e ganhei vários também. No país eu fiquei conhecido dessa forma, então eu decidi adotar esse nome”, fala o artista.

O haitiano chegou em Manaus em outubro de 2015 em busca de novas oportunidades. Ele revela que as obras levam em torno de cinco a sete horas para ficarem pronta, um trabalho que exige amor e dedicação, comenta o haitiano.

“Eu gosto muito do Amazonas e pretendo ficar aqui. A aceitação do público amazonense, pelas obras, tem sido muito boa. Quero expandir, levar minha arte para todo povo desse estado”, disse.

Contribuição

Para iniciar os trabalhos, o artista plástico Makendy Melis, recebeu auxílio da Paróquia São Geraldo, que o ajudou na compra dos materiais para desenvolver as primeiras obras.

“ Nos vimos a capacidade dele e a falta de condições, naquele momento, para levar em frente esse dom diferenciado que ele tem, por isso o ajudamos”, disse o pároco da Paróquia de São Geraldo, Valdecir Mayer Molinari.

O artista ainda não possui um espaço físico fixo para suas criações e utiliza um local, próximo a igreja, para desenvolver sua arte. Enquanto ele produz as obras de artes, outras peças ficam expostas na frente da igreja, localizada na Avenida Constantino Nery, que são comercializadas por amigos e conhecidos do artista.  “ Eu acredito que esse seja meu o destino, pintar”, diz.

Esterffany Martins

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir