Saúde e Bem Estar

Hábitos cotidianos errados causam danos à coluna

Permanecer muito tempo sentado ou em pé, numa mesma posição, assim como dormir de bruços, traz dor e desconforto – Divulgação

A rotina diária obriga trabalhadores a permanecerem muito tempo com o corpo na mesma posição, seja em pé ou sentado, um mau hábito que pode ocasionar problemas à coluna vertebral, caso não se dê a atenção necessária, conforme o quiroprata Régis Cabral, que atua na clínica da coluna Prax, localizada no bairro Adrianópolis.

“Na realidade, nosso corpo vive uma luta constante em adaptar-se aos nossos hábitos rotineiros. Por isso, tudo em excesso nos prejudica. Passamos oito horas sentados ou em pé no ambiente de trabalho, sem contar o trajeto para chegar ao trabalho e de volta para a casa. Quando chega a hora de dormir e restabelecer as cartilagens, os fluídos lubrificantes articulares, ainda dormimos de forma errada”, alerta.

Para mudar esse comportamento de risco à saúde, o quiroprata dá alguns conselhos. “Precisamos mudar a postura a cada duas horas no trabalho e não realizar movimentos repetitivos continuamente. Sentar sempre com a coluna reta com o quadril encaixado na curvatura da cadeira e sempre em ângulos de 90° nas articulações. Dormir sempre de lado ou de peito para cima e nunca levantar peso do chão sem flexionar os joelhos”, recomenda.

Cabral explica que durante a noite, quando dormimos, o corpo desempenha uma série de tarefas que não é possível em estado de alerta, entre elas a lubrificação das articulações. Segundo ele, é de extrema importância, portanto, a postura correta na hora de dormir. “Nunca dormir de bruços. Ao dormir de lado, usar um travesseiro na altura do ombro e outro entre os joelhos. De peito para cima, é preciso o cuidado de não exagerar a altura
do travesseiro”, diz.

Males

Régis Cabral relata que, dentre os malefícios causados à coluna em razão de posturas erradas, a lombalgia (dor na lombar) tornou-se uma epidemia mundial. “É reflexo do tempo que permanecemos sentado. Trata-se da região que mais recebe carga de esforço e não é fortalecida em exercícios convencionais”, explica.

Outra grave epidemia, advinda com o acesso ao mundo digital, é o “pescoço de SMS”, de acordo com o quiroprata. “Passamos horas com a cervical em flexão devido ao uso contínuo dos smartphones e, com isso, grande parte da população mundial vem sofrendo desse mal”, afirma.

Quiropraxia

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a quiropraxia é a profissão na área da saúde que lida com o diagnóstico, tratamento e prevenção de desordens do sistema neuro-músculo-esquelético. São utilizadas técnicas manuais, que incluem a manipulação e ajuste articular. “Interpretações de exames e análises criteriosas do estado de saúde do paciente, compõem a prática do profissional para realizar o diagnóstico e, a partir deste momento, aplicar procedimentos para remover as desordens e potencializar a saúde”, acrescenta Régis Cabral.

Ele afirma, ainda, que não há restrições para a avaliação quiroprática, quando praticada por profissionais qualificados, com estudo específico para a função. O curso de bacharel em quiropraxia, segundo ele, dura de cinco a seis anos. “O profissional terá conhecimento suficiente para aplicar procedimentos que não prejudicarão o paciente”, conclui.

Kássio Nunes
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir