Esportes

Há mais de um ano fora dos gramados, o polivalente Deurick voltou em alta ao Princesa

PÓDIO_3_DEURICK_MÁRCIO-MELO

Sua última partida oficial foi disputada em 20 de junho de 2015, mas o jogador entrou em campo no começo deste mês e foi bem – foto: Márcio Melo

A temporada para ele começou conturbada. Anunciado como reforço do Princesa do Solimões para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro, em maio, o “curinga” Deurick passou sufoco logo no dia da sua apresentação. Enquanto dirigia para Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus), o jogador capotou seu carro na rodovia Manoel Urbano, estrada que liga as duas cidades.


Além dos danos materiais, o acidente atrasou o retorno de Deurick ao Tubarão do Norte, já que sofreu um ferimento na perna e precisou de alguns dias para se recuperar. Por disso, o zagueiro correu contra o tempo para estar disponível e apto a vestir a camisa do Princesa na 4ª divisão e ainda perdeu os três primeiros jogos da equipe na competição – contra Baré-RR (em casa), São Francisco-PA (fora) e Palmas-TO (fora).

Há mais de um ano sem atuar (sua última partida oficial foi disputada em 20 de junho de 2015), o jogador entrou em campo no começo deste mês. Desde então, são duas partidas como titular, atuando durante os 90 minutos. Mais do que isso: desde o retorno de Deurick, o Princesa não sofreu gols. Primeiro, a vitória por 2 a 0 sobre o Palmas, depois, triunfo pelo mesmo placar sobre o São Francisco, ambos os jogos em Manacapuru.

“Eu fico feliz, porque passei um tempo parado, alguns meses, e queria voltar bem. Fiz um trabalho específico em Manaus, de fortalecimento muscular, com personal, alguns amigos de treino funcional. Quis voltar bem, sem pressa, para não me contundir novamente. Graças a Deus com a ajuda dos meus companheiros, a gente vem fazendo boas partidas e a equipe não tem tomado gols”, contou o zagueiro.

Antes do “Guerreiro” – como é conhecido Deurick pela torcida alvirrubra – voltar ao time titular, o técnico do Tubarão, Zé Marco, havia experimentado duas duplas de zaga diferentes. No empate em 0 a 0 com o Baré (em casa) e na derrota por 3 a 0 para o São Francisco (fora), atuaram Hitalo e Pastor. Na vitória diante do Palmas (fora) por 3 a 2, Pastor deu lugar a Danilo, que atualmente é o parceiro de Deurick na linha defensiva.

“Acho que é um conjunto, é aquela conexão boa entra o ataque, o meio e a zaga. A gente conversa muito nos treinamento, procuramos fazer o que o treinador manda, falamos sobre os nossos erros e sobre o que está faltando. Temos uma conexão muito boa, a equipe está indo num caminho só todos em um só pensamento”, explicou o defensor sobre o momento do Princesa na Série D.

Identificação

Em sua quarta temporada com a camisa do time da “terra da ciranda”, o zagueiro é um dos pilares do Tubarão. Ao lado do goleiro Rascifran, do volante Amaral, do meia Michell Parintins e do atacante Edinho Canutama, ele conhece como poucos os “corredores” e os caminhos das pedras do Gilbertão. Para o jogador, o atual elenco alvirrubro quer ir muito além da já conquistada vaga no “mata-mata” da Série D.

“Cheguei em 2013, me identifiquei bastante, a torcida me chama de guerreiro. Sempre fui aguerrido, às vezes com um pouco de excesso. Os (novos) atletas se identificaram, o clube se abraçou, a gente é um família, somos bem unidos. Nosso propósito não é passar de fase, é subi para Série C. Quando você trabalha com propósito, Deus sempre à frente de tudo, as coisas vão correndo bem”, declarou Deurick.

Por André Tobias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir