Dia a dia

Grupo gerador de energia vai suprir demanda do centro de atendimento a turistas na Reserva do Tupé

O gerador vai apoiar o serviço de visitação turística, hoje uma das principais fontes de renda da comunidade – foto: divulgação

O gerador vai apoiar o serviço de visitação turística, hoje uma das principais fontes de renda da comunidade – foto: divulgação

Um grupo gerador, fruto de parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e o Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Socioambiental de Manaus (Prourbis), foi instalado e já está funcionando na base administrativa da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé para suprir a demanda de energia do centro de atendimento ao turista na comunidade São João, a 25 km de Manaus.

A comunidade ainda não foi atendida em sua totalidade pelo Programa Luz Para Todos, do Governo Federal. O equipamento vai garantir, entre outros benefícios, o fornecimento de água do poço artesiano do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável (CADS) Roberto Vieira.
“A instalação do equipamento é resultado do esforço desenvolvido pela gestão da reserva no sentido de dotar a RDS do Tupé de melhores condições de recebimento dos visitantes”, afirmou o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar de Oliveira Mar.

O diretor de Áreas Protegidas da Semmas, Márcio Bentes, destacou que o grupo gerador vai apoiar o serviço de visitação turística, hoje uma das principais fontes de renda dos moradores da comunidade, uma vez que o CADS é base de atendimento na praia. “Com a possibilidade de ter energia 24 horas no espaço, o trabalho rotineiro da equipe responsável pela gestão da reserva se tornará mais eficiente”, frisou.

O gerador foi transportado em uma operação que levou dois dias para ser concluída, com o apoio das Secretarias Municipais de Infraestrutura (Seminf) e Limpeza Pública (Semulsp). A Seminf, por exemplo, disponibilizou um caminhão munck para fazer o transporte do grupo gerador de Manaus, partindo da sede da Semmas, na Vila da Prata, até o Porto Trairi, no Santo Antônio.

De lá, uma balsa da Semulsp fez o transporte até a reserva. A viagem até o Tupé levou aproximadamente duas horas. Já na comunidade, o grupo gerador foi levado até a rampa do CADs para que pudesse chegar ao destino final, uma casa de força.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir