Esportes

Gravity Racer movimenta avenida das Torres neste domingo

Velocidade e técnicas de direção serão itens avaliados pelos juízes no Campeonato Gravity Racer do Amazonas – foto: Janailton Falcão

Velocidade e técnicas de direção serão itens avaliados pelos juízes no Campeonato Gravity Racer do Amazonas – foto: Janailton Falcão

Mais de 200 alunos dos cursos de engenharia mecânica, engenharia de controle e automação, engenharia elétrica e engenharia de produção do Centro Universitário do Norte (Uninorte) irão participar do 1º Campeonato Gravity Racer do Amazonas, neste domingo, às 8h, na rua Visconde de Porto Seguro, próximo à avenida das Torres, Zona Norte de Manaus.

A ideia do campeonato é promover a construção de pequenos carros apenas com o uso proveniente da energia gravitacional sem a utilização de motor.
Cada equipe, composta por dez alunos, será responsável pela construção de um carrinho. Ao todo, vinte carrinhos serão construídos e a competição segue as normas da Confederação Francesa de Gravity Racer e da Associação Escocesa.

De acordo com o coordenador do curso de engenharia mecânica, Daniel Dias Filho, a proposta é oferecer um aprendizado mais dinâmico, por meio da construção dos protótipos em um ambiente descontraído.

“A Gravity Racer é uma competição que acontece em São Paulo, além da França e da Escócia. É uma atividade relacionada à engenharia mecânica, onde os alunos constroem carros sem o uso de motor, apenas com força de atrito e rolamento. As pessoas pensam que o Amazonas não tem condições para receber um evento desse porte e que poucas pessoas acham interessante, mas não. Muita gente está envolvida. A ideia principal é promover o ensino, brincando”, explica Filho.

A entrega do protótipo foi feita na última quinta-feira (19), foram analisados por engenheiros e serão reavaliados no dia da competição pela comissão julgadora. Entre os itens analisados estão os processos de desenho e projeto, solda e corte, além do uso correto das forças de atrito e arrasto de cada carro construído.

Últimos ajustes
Está previsto uma hora de ajuste dos carrinhos no ambiente e no dia da competição. Conforme o aluno Mizaac Lobo, 28, da equipe ‘Sniper’, os assuntos teóricos estudados em sala de aula, agora, serão colocados em prática.

“Cálculos de aerodinâmica, a resistência de materiais, saber qual o melhor material, tudo isso você aprende em sala de aula e leva para a construção. Cada carro terá no máximo 2 metros de altura e poderá pesar até 120 quilos, contando com o condutor. É uma competição muito interessante”, avalia.

O piloto de um dos carros, que também é aluno do 4º período de engenharia mecânica, Lucas Lima, 20, informou que ao todo, o grupo investiu aproximadamente R$ 6 mil no protótipo. “O regulamento fala que todos os equipamentos devem ser reutilizados, entretanto, investimos mais de R$ 5 mil pelo carro”, diz.

O coordenador do curso explica ainda que o campeonato será dividido em duas etapas, a primeira, em que a velocidade irá definir os cinco primeiros colocados, e a segunda, onde a técnica de rapidez irá prevalecer.

“A segunda etapa é que definirá o vencedor. Nesta etapa, a técnica de direção é que será avaliada, porque eles terão que desviar de cones colocados na pista, como pilotos profissionais”, esclarece.

Os pilotos menores de 18 anos deverão entregar à comissão organizadora uma autorização de seus pais ou responsáveis, na qual conste que estão de acordo e cientes do regulamento.

Por Luis Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir