Dia a dia

Grávida morre no João Lúcio após ser vítima de acidente de trânsito; familiares prometem manifestação

Katilane estava internada no HPS João Lucio a madrugada de hoje sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

Katilane estava internada no HPS João Lucio deste do dia 28 de julho e morreu na madrugada de hoje – foto: reprodução/Facebook

A técnica de enfermagem Katilane Morais Vieira, 22, que estava grávida de cinco meses, morreu na madrugada desta quarta-feira (3), por volta das 3h, no Hospital e Pronto Socorro João Lúcio,  onde estava internada desde do 28 de julho, após sofrer um acidente na avenida Maceió, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Familiares da vítima prometem realizar uma manifestação na próxima sexta-feira (5), no local onde ocorreu o acidente, pedindo Justiça pela morte da jovem e que os responsáveis sejam punidos.

De acordo com a mãe de Katilane, a motorista Edneia Mesquita Moirais, 42, no dia acidente, a jovem estava a caminho do trabalho em sua motocicleta, quando dois homens identificados como Hélio Castro, 21, e Alex da Silva Cruz, que também estava em uma motocicleta subiram a avenida Maceió na contramão e colidiram com a técnica de enfermagem.

Devido a gravidade da colisão, a jovem foi arremessada da motocicleta. Ela foi socorrida pelo Serviço Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, mas devido ao quadro de saúde foi transferida para o HPS João Lucio.

“Os dois homens subiram à avenida na contramão e colidiram com a motocicleta da minha filha. Eles estavam empregados e drogados, no dia do acidente eles foram detidos em flagrante, mas quando chegaram na delegacia forma liberados. Queremos Justiça! Milha filha estava grávida de cinco meses, mas perdeu o bebê no acidente e hoje morreu. Esses homens têm que serem presos. Não podem ficar em impune”, disse a mãe de Katilane.

Ainda conforme a mãe da jovem, a perna da técnica de enfermagem quebrou em duas partes, além do fêmur e os braços. Ela também teve traumatismo craniano e na madrugada de hoje sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

A família registrou o caso o caso no 16º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado no conjunto Morada do Sol, bairro Aleixo, também na Zona Centro-Sul da cidade.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, para saber pelo qual crime os outros envolvidos no acidente serão autuados e se responderão em liberdade, porém até publicação desta matéria o órgão não havia respondido a demanda.

De acordo com a delegada Allyne Lima, titular do 16º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no mesmo dia do acidente o condutor da motocicleta Hélio Veras, foi submetido ao teste de alcoolemia, que constatou que o rapaz estava com a taxa do limite permitido, de 0,25% miligramas por litro de álcool no sangue e o permitido é de até 0,33% miligramas.

Em depoimento, Hélio admitiu que havia usado entorpecentes, após exame de corpo de delito foi constatado que o rapaz estava sob o efeito de droga, devido a isso ele assinou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Conforme a delegada, não houve pagamento de fiança e Hélio indiciado por lesão corporal gravíssima. Na época ele foi conduzido a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa. Entretanto, foi liberado por determinação judicial, por meio do alvará de soltura expedido pela juíza Andréa Jane Silva de Medeiros, responsável pelo Plantão Criminal.

Devido a morte de Katilane, Hélio será indiciado por homicídio doloso (quando a intenção de matar). Ele responderá pelo crime em liberdade.

Por Mara Magalhães

1 Comment

1 Comment

  1. Jacqueline Rodrigues

    10 de agosto de 2016 at 17:56

    Olá irmãos venho carinhosamente solicita apoio dos irmãos BRASILEIROS
    Valer nosso Voto
    Valer nossa Voz
    Precisamos mudar a LEI ou código de trânsito no nosso BRASIL
    EM CASO DE ATROPELAMENTO E MORTE
    FAÇA PARTE DO NOSSO GRUPO ONDE TEREMOS OPINIÃO E VAMOS MARCA O LOCAL PARA FAZER RECONHECIMENTO DE ASSINATURA PARA LEVAR EM UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA
    99297/8300 WHATP
    jackr8720@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir