Dia a dia

Gratidão marca procissão do Senhor Morto, que levou 3 mil fiéis ao Centro

Milhares de fiéis foram às ruas da Zona Sul de Manaus, nesta Sexta-feira Santa (14), para celebrar a procissão do Senhor Morto, que teve concentração e início as 16h, no Santuário de Fátima, bairro Praça 14 de Janeiro, e seguiu até à Catedral de Nossa Senhora da Conceição, conhecida como “Igreja da Matriz”, no Centro Histórico da capital amazonense. Após a caminhada, os fies participaram da Meditação das Sete Dores, no mesmo local. A Polícia estimou que mais de 3 mil pessoas participaram do ato religioso.

De acordo com o arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Sérgio Castriani, os fies vivem um momento de contemplação da paixão e do amor de Deus pela humanidade. Amor esse que, segundo Castriani, vai até o fim. “É um momento de silêncio, adoração e paixão. Essa paixão que os fies demostram é o grande amor de Cristo e também o grande amor de Deus, pois ele enviou seu único filho para salvar a humanidade. É um amor eterno, verdadeiro, fiel e sem limites”, ressaltou o arcebispo de manaus.

Para a dona de casa Maria das Graças Fernandes, 65, a celebração marca o início de um ciclo, onde é preciso confiar, acreditar e buscar Cristo. “Porque ele é o salvador e a humanidade, sem ele, não é nada”, frisou a fiel que nasceu em uma família católica e desde criança acompanha as celebrações tradicionais. Ela lembra que, quando mais precisou do apoio divino, a fé em Jesus Cristo a amparou.

Maria das Graças (dir.) ao lado de uma amiga durante a procissão – Isac Sharlon

“Há 14 anos atrás meu filho sofreu um atentado. Morávamos no bairro Educandos, Zona Sul, e ele gostava de andar em barzinhos e consumia muito álcool. Em uma dessas saídas ele se envolveu em uma discussão com um traficante. Ele levou dois tiros a queima roupa, sendo um na região onde fica o coração e outro no ombro direito. Pela graça divina meu filho sobreviveu para dar o testemunho dele”, contou a dona de casa.

Já a aposentada paraense que mora há 15 anos em Manaus, Vanilde Andrade, 61, disse que as celebrações da Semana Santa marcam um momento de reflexão.

“Estamos aqui para fortalecer nossa fé, alimentar o amor pelo próximo, ter humildade e, acima de tudo, agradecer pela vida. Esse Deus é tão maravilhoso e eu tive provas disso em vários livramentos de morte que ele me concedeu”, justificou a aposentada destacando dois livramentos. “Eu lutei muito para que meu filho abandonasse as drogas. Hoje ele tem 42 anos, mas por mais de 20 anos ele foi usuário de drogas e chegou a perder a família, amigos e o trabalho por causa da vício. Hoje ele é um empresário bem sucedido, recuperou a família e é prova viva que o amor de Deus é maravilhoso”, contou.

Vanilde acompanha há 15 anos a procissão do Senhor Morto em Manaus – Isac Sharlon

Ainda segundo a fiel, no ano de 2015 ela enfrentou problemas de saúde. “Sou diabética e adquiri uma bactéria, que estava comendo o meu pé e, com isso, um dedo precisou ser amputado. Eu passei seis meses em uma cadeira de rodas. Durante todo esse tempo os amigos da paróquia de Nossa Senhora de Fátima iam todos os dias, às 19h, até a minha casa, onde rezávamos juntos o terço. Eu corria sérios riscos de perder completamente o pé, mas Deus foi tão bondoso comigo, que me permitiu a cura e hoje, apesar da amputação de um dedo, eu posso andar normalmente e sigo com a minha fé, acompanhando todos os anos celebrações cristãs.

Via-Sacra

Aproximadamente cinco mil fiéis participaram da Via-Sacra na manhã desta Sexta-feira Santa (14) em Manaus, segundo a Polícia Militar. O percurso relembrou, por meio da encenação em 14 estações, o martírio de Jesus Cristo ao carregar a cruz rumo ao calvário. A caminhada teve início na Catedral Nossa Senhora da Conceição, no Centro, e seguiu até o Santuário de Fátima, localizado no bairro Praça 14, Zona Sul.

Isac Sharlon
EM TEMPO

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

grupo
Subir