Dia a dia

Graça Figueiredo inaugura espaço de conciliação e brinquedoteca

Graça lembrou em seu discurso que a ideia do espaço surgiu durante uma visita ao Azarias Menescal - foto: divulgação

Graça lembrou em seu discurso que a ideia do espaço surgiu durante uma visita ao Azarias Menescal – foto: divulgação

Em dois dos últimos atos de sua administração frente a presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), a desembargadora Graça Figueiredo inaugurou o Espaço de Conciliação dra. Rosa de Oliveira Gomes e a Sala de Acolhimento Juscelino de Souza Gonzaga (Brinquedoteca), no Fórum Azarias Menescal de Vasconcelos.

Foi uma solenidade marcada pela emoção e muitos dos convidados – colegas e familiares -, choraram ao lembrar o espirito conciliador e humanista da dra. Rosa Gomes.

— Ela era uma pessoa doce, fraterna, alegre e advogada vocacionada, que dedicou sua vida à conciliação, apaziguando a alma das pessoas —, disse a desembargadora Graça Figueiredo.

A presidente chegou ao Fórum da Zona Leste por volta das 11h30, onde já aguardavam o dr. Clemente Augusto Gomes, o viúvo de Rosa e seu filho José Augusto Celestino Oliveira Fomes. Também estavam presentes genro, nora e netos.

Graça lembrou em seu discurso que a ideia do espaço surgiu durante uma visita ao Azarias Menescal e observou que as pessoas circulavam pelo corredor, no maior desconforto, em busca de justiça.

— Quem vem o Fórum da Zona Leste são, em sua maioria, pessoas que necessitam de justiça. Agora, elas terão um lugar confortável e uma justiça mais ágil para buscar seus direitos e aplacar sua alma – disse a presidente.

Quem era

Rosa de Oliveira Gomes era filha da desembargadora Grafilha de José Celestino de Oliveira e Odette Carlos de Oliveira, nasceu em Manaus, no dia 7 de junho de 1944, bacharel em direito, casada com Clemente Augusto Gomes, com quem teve três filhos. Em 1999, ingressou no Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) para exercer, em caráter temporário, o cargo de Analista Judiciário I, vindo a atuar junto ao Núcleo de Conciliação das Varas de Família.

Em 2003, foi dispensada do quadro de funcionários do Tjam. No papel de voluntária, continuou como conciliadora do Núcleo de Conciliação das Varas de Família até o fim de sua vida, devido ao amor ao trabalho.

Carismática, boa pessoa, mas acima de tudo uma mulher honesta, de caráter, uma mãe querida, uma esposa amada, uma ótima amiga e uma trabalhadora que cumpriu uma mulher honesta, de caráter, uma mãe querida, uma esposa amada, uma ótima amiga e uma trabalhadora que cumpriu dignamente suas tarefas até o dia 16 de setembro de 2015, data do seu falecimento.

O diretor do Fórum Azarias Menescal de Vasconcelos, juiz Alexandre Henrique Novaes de Araújo, agradeceu a desembargadora Graça que, em sua gestão, humanizou os fóruns.

— Ao longo de sua gestão, a senhora fez varias intervenções neste fórum e em outros fóruns da capital. Quero agradecer por tudo que a senhora fez em sua gestão. Principalmente na distribuição de servidores na justiça, que agora é justa. Ao valorizar as pessoas, a senhora também tornou o ambiente do fórum mais humano – disse Novaes.

Quem também discursou foi o viúvo da dra. Rosa que destacou a felicidade da esposa quando saia para o trabalho e quando retornava no final da tarde, alegre por ter ajudado as pessoas que buscavam a conciliação.

O juiz Gildo Alves Carvalho, que trabalhou por muito tempo com a dra. Rosa, também discursou, lembrando que sua amiga não alimentava somente a alma das pessoas, mas também a fraternidade e a amizade entre os companheiros de trabalho.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir