Política

Governo já expulsou 5.390 servidores federais; corrupção é principal motivo

O governo federal já expulsou 5.390 servidores públicos efetivos, ocupantes de cargos comissionados e aposentados desde 2003, dos quais 67% foram demitidos por atos relacionados à corrupção.

Só no primeiro semestre deste ano, foram 266 expulsões, sendo 81 apenas em junho ­pouco menos do que as 270 do mesmo período do ano passado.

Apesar de a corrupção ser o principal problema, também há casos de abandono de cargo, ausência no trabalho, acumulação ilícita de cargos e participação em empresas.

Os dados foram consolidados em relatório da CGU (Controladoria-Geral da União), mas as corregedorias dos ministérios é que investigam e expulsam os funcionários.

Historicamente, o Ministério da Previdência Social é o líder nas expulsões, com 1.386 entre 2003 e 2015. Esse valor corresponde a 3,1% da média de servidores ativos da pasta. Procurado para explicar as razões dessas demissões, o ministério não respondeu.

Desde 2003, o ano que mais teve expulsões foi 2014, com 548 servidores afastados.

A depender da infração cometida, o servidor expulso pode ficar até impedido de retornar ao serviço público, além de inelegível nos termos da Lei da Ficha Limpa, segundo a CGU.

Punições

2003 a 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 TOTAL
Demissão 2.142 432 442 421 428 421 227 4.513
Cassação de aposentadoria 150 36 35 45 51 58 23 398
Destituição 200 50 56 39 49 69 16 479
Total 2.492 518 533 505 528 548 266 5.390

O que causaram as punições*

66,77% Ato relacionado à corrupção
22,65% Abandono de cargo, inassiduidade ou acumulação ilícita de cargos
2,82% Proceder de forma desidiosa
1,11% Participação em gerência ou administração de sociedade privada
6,64% Outros

*Considerando todas as punições de 2003 a 2015

Fonte: Controladoria Geral da União

Por Folhaspress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir