Mundo

Governo do Equador recaptura 30 presos após terremoto que deixou 246 mortos

O terremoto atingiu vários edifícios da zona central de Guayaquil, matou 246 pessoas e deixou mais de 2,5 mil feridosCésar Muñoz - Agência Andes

O terremoto atingiu vários edifícios da zona central de Guayaquil, matou 246 pessoas e deixou mais de 2,5 mil feridosCésar Muñoz – Agência Andes

O ministro da Justiça do Equador, Ledy Zuñiga, informou hoje (17) que foram recapturados 30 dos cerca de 100 presos que fugiram de centro de reabilitação localizado na cidade costeira de Portoviejo. Os presos escaparam depois de um terremoto de magnitude 7,8 na escala Richter. A tragédia provocou, até o momento, pelo menos 246 mortes e 2.527 feridos no país.

Através de sua conta no Twitter, Zuñiga afirmou que a fuga aconteceu devido aos efeitos que ocorreram na estrutura do centro da prisão. O ministro descartou a existência de mortos ou gravemente feridos e afirmou que a segurança dos centros será reforçada.

O ministro de Setores Estratégicos, Rafael Poveda, informou que as refinarias Esmeraldas, Libertad e Shushufindi, bem como óleo e gasodutos, não foram danificados durante o terremoto e estão operando normalmente.

Ajuda humanitária

Equipes de resgate de El Salvador, Bolívia e Colômbia foram enviadas neste domingo ao Equador. A ajuda é composta por bombeiros de resgate, polícia, Cruz Vermelha e três outras agências humanitárias. O apoio se une às equipes venezuelanas, que já estão no país. Além de resgate, o suporte da Venezuela leva alimentos para população das áreas atingidas.

De acordo com o vice-presidente do Equador, Jorge Glas, 4,6 mil policiais, cerca de 100 especialistas em resgate e 10 mil homens da Forças Armadas foram mobilizados para atuar nas áreas atingidas. O tremor, centrado na província de Manabi, até agora registrou 189 tremores secundários em todo o território equatoriano.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir