País

Governo analisa isenção de visto para americanos no ano olímpico, diz ministro

Turistas americanos podem ter isenção de vistos no ano que antecede o início dos Jogos Olímpicos de 2016 até o fim da competição. A medida está sendo analisada pelos ministérios do Turismo e das Relações Exteriores, segundo informou o ministro do Turismo, Eduardo Alves. Ele visitou hoje (11) as obras do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

“Começaríamos pelos Estados Unidos, que são hoje o país que mais envia turistas ao Brasil. O americano é o que mais permanece aqui, um par de 20 dias, portanto, é um mercado de importante experiência”, afirmou. Por esse motivo, foi o país escolhido para a experiência. Ele disse que, se der certo, é possível que a isenção seja estendida a outros países.

Por causa das Olimpíadas, o atleta e integrantes de sua família já têm direito à isenção do visto. Em princípio, a medida não inclui a reciprocidade, mas Alves não afastou a possibilidade de o governo buscar um entendimento com os Estados Unidos como forma de facilitar o trânsito de turistas dos dois países neste período.

O prefeito Eduardo Paes, que acompanhou o ministro na visita, considera que a medida de isenção do visto é importante, principalmente, porque o americano é muito ligado em competições, como os jogos. “Ouvimos aqui uma defesa muito forte do ministro do Turismo, e isso é importante para o Brasil todo, e certamente para as Olimpíadas”, disse.

Os dois defenderam a necessidade de aproveitar o período das Olimpíadas para aumentar o número de turistas no Brasil.

O ministro do Turismo revelou que o Brasil recebe, por ano, 6 milhões de visitantes, enquanto a Tailândia com este total de habitantes, recebeu no ano passado 24 milhões. “O México recebe 30 milhões de turistas. Como é que o Brasil, esta maravilha que é, com esta diversidade cultural, com turismo religioso, essa gastronomia, de trilhas e eventos, recebe apenas 6 milhões de turistas?  Acho que isso é um alerta de que temos que mudar, e investir no turismo como atividade econômica importante desse país”, disse.

Para Alves, as Olimpíadas são “um grande” momento de mostrar ao mundo o Brasil que “nós queremos ser: de qualidade, competência, cumpridor de palavra e de prazos”. Ele reconheceu que a segurança pública é o maior problema, em um país com a dimensão territorial do Brasil. “É um desafio de todos os estados e do país como um todo”. E assegurou que o governo vem tentando amenizar o problema. “Diante das ações desenvolvidas pelas autoridades brasileiras, as Olimpíadas podem mostrar um Brasil mais seguro”, disse.

Eduardo Paes garantiu que as obras estão dentro do cronograma. Ele estimou que o Parque estará concluído no fim do primeiro semestre de 2016, e destacou que as instalações de handball, por exemplo, estão com quatro meses de adiantamento.

O presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, que também participou da visita, disse que o Parque Olímpico está sendo construído em uma área de 1,18 milhão de metros quadrados e que vai abrigar competições de 16 modalidades olímpicas e nove paralímpicas. Ele destacou que ainda serão instalados no local o Centro Principal de Mídia (MPC), o Centro Internacional de Transmissão (IBC) e um hotel.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir