Economia

GNV amplia vantagens sobre etanol e gasolina

Taxistas são os principais consumidores dos postos que comercializam o Gás Natural Veicular na cidade- foto: Ione Moreno

Taxistas são os principais consumidores dos postos que comercializam o Gás Natural Veicular na cidade- foto: Ione Moreno

Estudo da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) aponta que a economia gerada pelo uso do Gás Natural Veicular (GNV) no Amazonas, apesar de ser economicamente menos lucrativa em relação a outros Estados, ampliou as vantagens em relação ao etanol e à gasolina, além de ser ambientalmente correto.

Com as variações nos preços da gasolina e do etanol, o GNV ficou com economia superior a 50% frente ao etanol em 16 unidades da federação como o Amazonas na Região Norte, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, no Sudeste, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, no Sul, Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe, no Nordeste, e Mato Grosso do Sul, na Região Centro-Oeste.

Em seis Estados, a economia do GNV é igual ou superior ao patamar de 50% quando comparada com a da gasolina. São eles: Alagoas, Espírito Santo, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe. A análise da Abegás utiliza dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e aplica os dados do Fiat Siena como referência para calcular o custo por quilômetro rodado. O manual do veículo traz uma estimativa de consumo médio com os três combustíveis.

Com o GNV cada vez mais competitivo, cresce no país o número de conversões de veículos para o GNV tanto de pessoas físicas como jurídicas. Empresas com grandes frotas estão vendo no GNV uma boa oportunidade de ganhar não apenas na economia em escala, mas também pelo aspecto ambiental. Segundo o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, o GNV emite, em média, 15% menos CO2 em relação ao etanol e 20% a menos na comparação com a gasolina.

O destaque vai para o Rio de Janeiro, onde o consumidor obtém até 63% de economia em relação ao etanol, garantindo uma economia mensal de R$ 675 frente ao etanol e de R$ 504 frente à gasolina para quem roda em média 2,5 mil quilômetros/mês. Rodando a mesma quilometragem com GNV, no Rio Grande do Sul, o consumidor poupa R$ 670 por mês frente ao etanol e R$ 428 em relação à gasolina.

Intensidade

O estudo mostra que o GNV é cada vez mais uma excelente alternativa para qualquer pessoa que rode com intensidade e busque economia, seja utilizando o carro para trabalhar ou no passeio de fim de semana, afirma o presidente executivo da Abegás.

Os Estados avaliados pelo estudo são: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe. Em todos eles, mesmo a menor economia registrada ainda é bastante vantajosa aos consumidores que optam pelo GNV.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir