/* */
Economia

Gasolina tem nova queda de preço em Manaus

Preços a R$ 3,09 podem ser encontrados em postos localizados nas zonas Sul e Leste – Janailton Falcão

A busca por um maior volume de vendas está obrigando postos de combustível em toda a Manaus a entrar na disputa de mercado por um preço mais barato e, mais uma vez, o preço da gasolina baixou e pode ser encontrado por até R$ 3,09. Os especialistas sinalizam que a oscilação de preço vai se tornar cada vez mais constante, tanto pela disputa de mercado entre os empresários quanto pela divulgação de alterações no preço nas refinarias por parte das Petrobras, todo dia 5 de cada mês. Por enquanto, os preços baixos podem ser encontrados, principalmente, nas zonas Sul e Leste.

Oscilação do preço vai se tornar cada vez mais constante, segundo especialistas – Michael Dantas

O vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Amazonas (Sindicam-AM), Geraldo Dantas, acredita que estão existindo muitas promoções em curto prazo de tempo. Algumas distribuidoras e postos estão promovendo queima de estoque, algo mais benéfico para o consumidor que para o empresário, que, quando o preço está baixo, acaba perdendo margem de lucro. “Esses valores para os postos acabam tendo uma margem negativa de lucro. Quem ganha mais é o consumidor porque está encontrando sempre alguma promoção”, disse.

Mas Dantas desconfia de como é possível manter os preços tão baixos sendo que os estabelecimentos não podem perder lucro, porque precisam honrar compromissos com folha de pagamento, impostos, água, luz, telefone e outros custos. “Particularmente, não posso trabalhar na minha empresa com margem negativa porque temos que cumprir com pagamentos e não posso deixar de pagar minhas coisas. É melhor manter o preço e não vender que sair perdendo”, declara.

O operador administrativo Ranilson Carvalho, do posto Equador da avenida Rodrigo Otávio, no bairro Distrito Industrial, onde o preço da gasolina estava por R$ 3,12, disse que o movimento cresceu com a redução do valor e quando chega o horário de pico a movimentação de clientes fica 100% maior que o normal. “Mas a margem de lucro do estabelecimento cai. Quando estava a R$ 2,99, os postos ganhavam, em média, apenas entre R$ 0,04 e R$ 0,05 em cima de cada litro”, relatou.

A margem normal de preços dos estabelecimentos seria de R$ 3,85 ou R$ 3,89. A estratégia do grupo é ter um maior volume de venda e também seguir o movimento da concorrência. “Com os preços baixos, de quinta a domingo, os clientes enchem o tanque”, diz Ranilson.

Joandres Xavier
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir