Economia

Gasolina e diesel serão vendidos mais baratos nos postos de Manaus a partir de segunda

A queda será possível devido à mudança de política de preços dos derivados anunciadas nesta sexta (14) pela Petrobras - foto Diego Janatã

A queda será possível devido à mudança de política de preços dos derivados anunciadas nesta sexta (14) pela Petrobras – foto Diego Janatã

A partir da próxima segunda-feira (17), a gasolina e o diesel poderão ser comercializados a um valor mais barato nos postos de combustíveis em Manaus.

A queda será possível devido à mudança de política de preços dos derivados anunciada nesta sexta-feira (14) pela Petrobras, que desde o primeiro minuto de hoje, comercializa os preços da gasolina e do diesel a 3,2% e 2,7%, respectivamente, mais baratos na porta das refinarias de todo o país, inclusive em Manaus. “Ela (a mudança de política) é baseada na paridade internacional de preços. Ao anunciar essa nova política, nós achamos também que seria importante fazer um movimento de preços levando em conta que tem havido um aumento de importações, especialmente de diesel, mas também da gasolina, além da sazonalidade do mercado mundial de derivados”, disse o presidente da Petrobras, Pedro Parente.

Queda

A redução direta na bomba dos postos de combustíveis para o diesel deverá ser de, em média, 1,8%, e para a gasolina, de 1,4%, queda de R$ 0,05 por litro em ambos os casos, segundo cálculos da Petrobras. Porém, conforme estimativa do Sindicato dos Postos de Combustíveis de São Paulo (Sincopetro), o preço da gasolina deverá cair R$ 0,03 para o consumidor, e não os R$ 0,05 estimados pela Petrobras.

Já em Manaus, de acordo com o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Amazonas (Sindicam), Geraldo Dantas, o mercado local só definirá o valor da redução no preço do litro dos combustíveis na próxima segunda-feira, quando a maioria dos postos renova os estoques semanais de gasolina e diesel. “Quando chegar os novos estoques, veremos a nota fiscal e, a partir daí, poderemos calcular a redução efetiva. Cada posto tem sua política individual”, afirmou.

Dantas ressaltou que a queda no preço da gasolina e do diesel nas refinarias pode ter impacto positivo para as vendas dos postos de combustíveis da cidade, que vinham sendo abaladas devido ao preço alto praticado em Manaus, onde o valor do litro custa em média R$ 3,95, mas que pode ser encontrado até por R$ 3,39, em estabelecimentos da Zona Leste da capital amazonense.

“Com a queda do valor da gasolina, poderemos reduzir o preço e aumentar a as vendas”, avaliou o empresário.

Outra indagação feita é quanto aos postos de combustíveis que reduziram o preço da gasolina para R$ 3,59, neste mês, em uma espécie de “promoção” para atrair clientes. Para o consumidor, é preciso definir se a queda na bomba vai ser feita a partir do preço promocional ou do valor que era cobrado anteriormente.

Cliente espera redução na bomba

Nos postos de combustíveis de Manaus, os funcionários informam que não há previsão para a redução dos preços nas bombas para o consumidor final.

Segundo o gerente Juracy Nunes, do posto Potência, na avenida coronel Teixeira, na Zona Oeste, o estabelecimento não trabalha com grande estoque de combustível e, se houver uma redução efetiva ao consumidor, o novo preço deve ser dotado a partir da próxima terça-feira (18).

“Não fomos oficialmente informados sobre a redução do valor do combustível. Geralmente, quando acontece, a gente adquire uma nova leva de produtos e esse preço também é reduzido ao consumidor final”, disse.

No local é possível encontrar o valor da gasolina comum promocional em R$3,59, aditivada em R$ 3,65 e o diesel em R$ 3,20.

O frentista Marcos Antônio Silva, de 29 anos, disse que o posto trabalha com um preço promocional estipulado pelo próprio dono do estabelecimento para não perder clientes. Ele acredita que se houver redução, o valor será abaixo do percentual apresentado pela Petrobras.
“Não sei se vai abaixar, mas pela experiência que tenho, talvez essa redução seja mínima. O dono do posto já abaixou o preço para não perder clientes. Geralmente ele abaixa o valor de acordo com o preço repassado aos consumidores pelos demais estabelecimentos. Se todos baixarem, com certeza ele vai baixar também”, disse.

A reportagem entrou em contato com o gerente geral da Equatorial Distribuidora Equatorial de Produtos de Petróleo Ltda., André Borges, mas ele preferiu não se pronunciar sobre a nova tabela de preços dos combustíveis.

Proprietário de um veículo que faz transporte de cargas, Roberto Andrade, 56, disse que espera uma redução no preço praticado na bomba dos postos de gasolina. “O preço está alto e torço para que caía”, declarou.

Anwar Assi e Bruna Souza (do Jornal e Portal EM TEMPO)
Com informações de assessorias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir