Economia

Gás natural chega a imóveis residenciais de Manaus

Economia, praticidade, logística e conceito. Esses são alguns dos aspectos proporcionados pelo gás natural para empreendimentos comerciais e residenciais.  No caso do projeto “Soberane Live + Work”, edifício ainda em fase de construção na rua Salvador, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, o combustível atenderá os dois segmentos em um só local, com uso para cozinha e aquecimento de água nos apartamentos e na praça de alimentação da área comercial do complexo, que tem entrega prevista para o primeiro semestre de 2018.

O Soberane é um empreendimento viabilizado pela SKN Incorporadora, que atua no mercado imobiliário de Manaus há mais de uma década. O prédio é o projeto âncora da expansão em curso da Rede de Distribuição de Gás Natural no conjunto Vieiralves, na Zona Centro-Sul, além de referência no uso de um combustível mais limpo, econômico e prático na região, dispensando o armazenamento de botijas e o fluxo de caminhões fornecedores.

Essa vantagem do gás natural, para diretor de engenharia da SKN, Rinaldo da Silva, é a principal. “Recebemos a recomendação de executar a obra com adequações para o uso do gás natural, que descarta espaços para armazenamento de botijas, por exemplo. Os clientes também terão economia no consumo, o que gera mais um atrativo ao projeto, além da questão ecológica”, enumerou.

A SKN assinou contrato com a Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) em outubro de 2014 e tornou-se o primeiro empreendimento do varejo em Manaus a aderir ao combustível. “O Soberane ainda está em fase de construção, mas todos os empreendimentos residenciais verticais e comerciais da região do Vieiralves podem aderir ao gás natural. A expansão da nossa rede é estratégica, sempre visando atender às áreas com potencial de consumo”, destacou o diretor técnico comercial da Cigás, Clovis Correia Junior.

Para atender o cliente, a Cigás iniciou, em maio, a nova etapa de obras de expansão da rede. Nesta fase, a malha principal de dutos será estendida pela rua Salvador, pequeno trecho da avenida Maceió, rua Pará, avenida Djalma Batista e trecho da avenida Darcy Vargas. “Desta linha principal, é possível fazer pequenas derivações da rede para atender outras ruas da região”, explicou Correia. Até metade de junho, 20% do projeto foi realizado.

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir