Sem categoria

Garota que confessou matar o pai tem liberdade provisória concedida pela Justiça

Segundo laudo do IML, Kimberly Keice de Jesus da Vida, 19, não foi estuprada pelo pai - foto: Janailton Falcão

Segundo laudo do IML, Kimberly Keice de Jesus da Vida, 19, não foi estuprada pelo pai – foto: Janailton Falcão

A estudante Kimberlin Keyce de Jesus da Silva, 19, após ficar cinco meses presa no Centro de Detenção Provisória (CDP) Feminino teve a liberdade provisória concedida pela Justiça na tarde desta quinta-feira (19).  A jovem confessou ter matado o pai, o serralheiro Kedson Barbosa da Silva, 41, na residência em que moravam, localizada na rua Palermo, bairro  Cidade Nova, Zona Norte, da data do crime, ocorrido em 9 de junho.

De acordo com alvará de soltura, assinado pelo Juiz de Direito Eliezer Fernandes Júnior, da 1ª vara do Juri, do Fórum Henoch Reis, Kimberlim será monitorara por uma tornozeleira eletrônica, não poderá sair de casa e terá que comparecer ao Fórum para detalhar suas atividades.

A jovem poderá ser conduzida ao projeto ‘Reeducar’ para ressocialização de detentos que trabalha com  palestras e outros programas educativos.

O caso

Kimberlin Keyce de Jesus da Silva, 19, matou o pai, o  serralheiro Kedson Barbosa da Silva, 41, em junho deste ano, na residência onde moravam, na Cidade Nova, Zona Norte, porque, segundo ela,  o pai não aceitava o relacionamento homoafetivo  da jovem  com uma mulher, o que motivou o assassinato.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, a filha confessou ter cometido o crime e os motivos que a levaram a matar o pai.

“A Kimberly já confessou o crime e deu detalhes da dinâmica, mas negou a participação de outras pessoas. Em todo o caso, já iniciamos as investigações e acreditamos  que outra pessoa tenha  amarrado os braços e pernas da vítima, devido a precisão dos nós”, adiantou o delegado.

De acordo com a perícia criminal do Instituto de Criminalística (IC), da Polícia Civil, a vítima foi golpeada 13 vezes: sete perfurações ocorreram no tórax, cinco no pescoço e uma que varou a mão direita.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir