Dia a dia

Fundação Alfredo da Mata realiza mutirão de dermatologia

Mutirão dermatológico foi realiazdo neste sábado (2) das 8h às 12h - foto: Márcio Melo

Mutirão dermatológico realizado reuniu centenas de pessoas neste sábado (2) – foto: Márcio Melo

Com o objetivo de atender o maior número possível de pessoas com doenças de pele e realizar o diagnóstico precoce dos casos de hanseníase, a Fundação de Dermatologia Tropical e Venerologia Alfredo da Mata, realizou na manhã de sábado, mutirão de dermatologia. De acordo com o diretor presidente do Alfredo da Mata, Helder Cavalcante, a expectativa era atender mais de mil pessoas que desde as primeiras horas da manhã lotavam as dependências da unidade de saúde, localizada na avenida Codajás, bairro da Cachoeirinha, zona Sul de Manaus.

“Temos aqui uma equipe com mais de 100 profissionais trabalhando e esperamos detectar casos de hanseníase, sífilis e talvez até HIV, entre outras doenças que acometem a pele. Vamos fazer testes rápidos para sífilis e HIV com o resultado saindo na hora. As doenças dermatológicas mais comuns são as alergias, pele e acnes que é o mais comum”, enfatizou o médico dermatologista.

De acordo com Helder, desde o ano passado a Fundação Alfredo da Mata vem realizando o mutirão dermatológico para anteder a população. “Somente no ano passado a Fundação Alfredo da Mata realizou três mutirões. Em 2016 já fizemos um no início de janeiro e agora estamos fazendo esse em abril. A ideia é que a cada dois meses a gente possa realizar essas atividades em áreas diferentes da cidade. Já fizemos um mutirão no bairro Antônio Aleixo na zona Leste, esse estás sendo aqui na zona Sul e o próximo será na zona Centro-Oeste no mês de maio”, prometeu.

Na avaliação do diretor presidente do Alfredo da Mata, a população deve ficar atenta e qualquer alteração ou coceira na pele, procurar imediatamente um dermatologista. “A orientação que damos as pessoas e não procurar tratar por conta própria ou no balcão da farmácia os problemas de pele porque pode ser algo mais grave como hanseníase ou psoriase também”, alertou.

Para a dona de casa, Francisca Teles do Nascimento, 45, que foi participar do mutirão de dermatologia, a iniciativa é importante. Ela disse que nas últimas duas semanas começou a apresentar manchas vermelhas na pele e resolveu procurar o médico.

“Achei muito importante a realização desse mutirão de dermatologia. Apesar de ter chegado cedo e enfrentado essa fila grade, vai valer a pena fazer logo a minha consulta e saber que doença de pele tenho. Estou com essas manchas vermelhas na pele há duas semanas e ainda não sei o que é. Por isso vim logo me consultar”, disse.

Por Augusto Costa

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir