Dia a dia

Funcionários do hospital Francisca Mendes fazem manifestação contra atraso nos salários

Aproximadamente 500 funcionários participaram do ato foto: Conceição Melquíades

Aproximadamente 500 funcionários participaram do ato foto: Conceição Melquíades

Com os salários atrasados há 19 dias, aproximadamente 50 funcionários do hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), no bairro Cidade Nova, zona Norte, realizaram uma manifestação pacífica em frente a unidade de saúde, na manhã desta segunda-feira (23). Com um auxílio de carro de som e segurando cartazes, o grupo denunciou que todos os funcionários que trabalham com carteira assinada, contratados pela Fundação de Apoio Institucional Rio Solimões (Unisol) – aproximadamente 500 pessoas – tem sofrido com os atrasados consecutivos.

Trabalhadores dos setores de enfermagem, radiologia, higienização, laboratório, atendimento, recepção, UTI e centro cirúrgico se concentraram em frente ao hospital para reivindicar seus direitos. “É importante que fique claro que não estamos em greve. Pela lei, só poderemos decretar greve com 30 dias de salário atrasado. Fizemos uma manifestação pacifica e ninguém que estava escalado no plantão hoje (ontem), faltou”, afirmou uma manifestante que pediu para não ter o nome divulgado, com medo de represália.

De acordo com os trabalhadores, em agosto o pagamento foi depositado no dia 16, em setembro foi no dia 21, em outubro no dia 10 e, agora em novembro, previsto para o dia 5, ainda não foi repassado. “A maioria aqui esta em débito com as contas de água, luz e aluguel. Algumas pessoas estão para ser despejadas, porque todos os meses atrasam com o pagamento. Este é o fim de ano que os trabalhadores estão tendo, sem dignidade”, afirmou o diretor de saúde do sindicato de enfermeiros e técnicos de enfermagem do Amazonas, Celson Andrade.

Além do salário, os trabalhadores denunciaram que não receberam o repasse das férias e temem também não receber o 13º salário. “Ligamos para a fundação unisol, mas o presidente não se manifestou. O diretor do hospital veio conversar conosco e nos explicou que o repasse dos salários não depende dele. Esses atrasos não são de hoje”, afirmou Andrade.

Os funcionários explicaram que houve um acordo da fundação para parcelar as férias em duas vezes, mas o acordo não foi cumprido. “Não honraram com o acordo conosco. Sai de férias e até agora não recebi. Mas o atraso no nosso pagamento, não é de hoje. Trabalho aqui há 13 anos e sempre foi assim”, disse uma funcionária que pediu para não ter o nome divulgado.

Na manhã desta terça-feira (24), as 8h30, o grupo organiza realizar um protesto em frene a sede da fundação, na avenida Tefé, no bairro Japiim, zona Sul.

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) informou que o rapasse dos recursos referentes ao contrato com a Unisol estão sendo realizados e, até esta quarta-feira (25), o pagamento dos prestadores de serviço deverá ser efetuado.

A reportagem buscou contato com a direção da Unisol, mas até o fechamento não recebeu retorno.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir