Dia a dia

Funcionários da UPA Campos Salles não receberam pagamentos; bloqueio é em decorrência da ‘Maus Caminhos’

Manifestação dos funcionários do Novos Caminhos na UPA Campus Sales - Foto: Marcio Melo

Manifestação dos funcionários na UPA Campus Sales – Foto: Marcio Melo

Funcionários da empresa Salvare Serviços Médicos, que prestam serviços na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Salles, localizada no bairro Tarumã, Zona Oeste, continuam com os pagamentos bloqueados por conta da Operação Maus Caminhos, da Polícia Federal.

Na última segunda-feira (3), mais de 20 funcionários protestaram contra o atraso de dois meses de salários. Eles explicaram ainda que desde então, vêm sofrendo assédio moral por parte de gestores da unidade de saúde.

Conforme uma farmacêutica – que não quis se identificar e participou do ato realizado em frente a UPA – um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado no 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP) por conta do tratamento inadequado oferecido aos funcionários.

“Todos nós da Salvare estamos sendo coagidos na unidade por conta das manifestações. É direito nosso realizar potestos, afinal temos compromissos e estamos no nosso limite. Registramos até um BO, porque uma gestora da unidade informou que tínhamos sido demitidos por abandonar o trabalho, o que não é verdade”, informou.

Entre os funcionários que estão com os salários atrasados, estão enfermeiros, farmacêuticos, bioquímicos, biomédicos, nutricionista e técnicos de enfermagem.

A funcionária explicou ainda que após o manifesto, os profissionais foram impedidos de retornar aos seus postos de trabalho. “Simplesmente jogaram no lixo todos os nossos pertences. Isso é um absurdo, assédio moral. Fomos barrados de voltar ao trabalho. Pediram apenas para que fôssemos à sede da Salvare assinar a demissão, chegando lá, era tudo mentira”, afirmou.

A reportagem não conseguiu contato com a empresa Salvare. Entretanto, por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que está trabalhando junto aos órgãos judiciais competentes para encontrar uma forma legal de realizar os pagamentos pelos serviços prestados dos servidores contratados pela organização social Instituto Novos Caminhos (INC), que administrava a UPA Campos Salles, e que tiveram suas contas bancárias bloqueadas pela justiça federal, em virtude da Operação Maus Caminhos.

A Susam ressaltou ainda que a UPA Campos Salles está funcionando normalmente e que não procedem as informações de que há qualquer tipo de desrespeito para com os profissionais que optaram por participar dos movimentos que reivindicam o pagamento dos salários.

Luis Henrique Oliveira

Jornal AGORA

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir