Política

Frente Parlamentar em defesa de portos, hidrovias e navegação é lançada em Brasília

Frente Parlamentar é direcionada às discussões sobre aeroportos, portos, novas hidrovias e a privatização da hidrovia do Madeira - foto: divulgação

Frente Parlamentar é direcionada às discussões sobre aeroportos, portos, novas hidrovias e a privatização da hidrovia do Madeira – foto: divulgação

A Frente Parlamentar em Defesa dos Portos, Hidrovias e Navegação do Brasil da Câmara dos Deputados foi lançada na manhã desta quarta-feira (27), em Brasília. O Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial no Estado do Amazonas (Sindarma) participou do evento e prevê que a articulação dos deputados poderá ampliar a busca de melhorias para o setor na Região Norte.

O lançamento ocorreu na sede da Confederação Nacional do Transporte (CNT), reunindo parlamentares, lideranças sindicais, empresários do setor de navegação e portos. O presidente do Sindarma, Dodó Carvalho, ressaltou que a partir da concentração de esforços a navegação e o transporte fluvial da Região Norte vivenciarão uma fase de desenvolvimento.

“Esperamos que a navegação do Amazonas e na Amazônia vivam seus melhores momentos de desenvolvimento e crescimento, mas precisamos de infraestrutura adequada para se fazer uma navegação segura e comercialmente viável. A frente parlamentar vem em um bom momento, vem somar os esforços com os sindicatos e a federação para buscar melhorias na navegação de interior e portuária da região”, avaliou Dodó Carvalho.

A falta de infraestrutura de sinalização de hidrovias, dragagens de rios e as precárias condições portuárias de terminais públicos serão alguns dos problemas que o Sindarma pretende debater com os parlamentares. Propostas de melhorias para promover a otimização do processo de carregamento e descarregamento das cargas em portos também serão discutidas.

Participação reduzida

Dos 219 deputados federais, que integram a frente parlamentar, apenas três são do Amazonas. A bancada federal amazonense é composta por oito deputados. Na avaliação do Sindarma, para a mobilização conseguir resultados positivos é preciso engajamento das entidades, empresas do setor e parlamentares. “Todos nós da Amazônia precisamos juntar os esforços para melhor o sistema de transporte fluvial da região”, enfatizou o presidente da entidade sindical.

O deputado Adjuto Afonso (PP) afirmou que a Frente Parlamentar Federal é direcionada às discussões sobre aeroportos, portos, novas hidrovias e a privatização da hidrovia do Madeira.

“O engajamento nessa frente federal já começa muito significativo, com a participação de 227 parlamentares de todo o Brasil, inclusive a deputada federal do Amazonas, Conceição Sampaio (PP). Estamos envolvidos nessa discussão que considero fundamental e de extrema importância para o Estado”, disse o deputado.

O presidente da Fenavega, Raimundo Holanda Cavalcante Filho, explicou que o objetivo do encontro é sensibilizar o governo e mobilizar empresários do setor em todo o País com o propósito de frear o crescente impacto econômico com a crise enfrentada no Tietê-Paraná. O movimento pela retomada da hidrovia, que tem 2,4 mil quilômetros de extensão e é uma das mais importantes vias de escoamento de grãos, celulose e outros granéis, foi iniciado no dia 29 de abril, em Barra Bonita (SP), quando empresários e políticos se reuniram para discutir soluções para o setor, ainda sem avanços.

 

Por Equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir