Esportes

Fred fecha ciclo de oito anos e vai ganhar menos no Atlético-MG

Fred tinha mais dois anos e meio de contrato com o Fluminense, com um salário de R$ 800 mil mensais, mas escolheu receber menos no Atlético-MG. Além de uma curta história no Cruzeiro, mas o suficiente para o jogador se declarar cruzeirense e não comemorar gols que marcou em jogos contra a equipe celeste. Então, o que fez o atacante aceitar uma proposta para trocar o Rio de Janeiro por Belo Horizonte?

Para explicar como chegou ao fim a passagem de oito anos entre Fred e Fluminense, é preciso voltar até o início de 2015, quando o jogador renovou por mais quatro anos mesmo após a saída da Unimed, patrocinadora que bancava a maioria do salário. Aceitou uma redução de R$ 150 mil para permanecer nas Laranjeiras –o salário dele caiu de R$ 950 mil para R$ 800 mil.

O problema ocorreu no ano seguinte, no início da temporada atual. Fred quis aumento de salário para cerca de R$ 900 mil, que seria reajustado para R$ 1 milhão por mês em 2017. Em crise financeira e sem conseguir um patrocinador máster, o Fluminense negou, o que gerou um clima ruim nas Laranjeiras.

Mas foi em abril que a situação ficou bem ruim, quando o técnico Levir Culpi foi contratado e entrou em rota de colisão com Fred. O atacante chegou a dizer para a diretoria que não jogaria mais pelo clube com o treinador no comando. E foi nesse momento que o Atlético-MG iniciou as conversas com o jogador, que recuou e tentou conviver de maneira profissional com o desafeto.

Não adiantou. Por mais que não houvesse mais brigas, Fred não estava mais feliz no Fluminense. Ee pediu para ser negociado, e o clube tricolor viu a oportunidade de aliviar muito a folha salarial. A saída de Fred representa, por pelo menos, uma economia de R$ 24 milhões. O valor é referente ao salário do jogador pelo tempo de contrato, sem levar em consideração, por exemplo, 13º, férias e premiações.

A negociação atual foi conduzida pelo diretor executivo de futebol do Fluminense, Jorge Macedo, que recebeu sinal positivo de Fred para tratar do futuro do atleta. Francis Mello, assessor pessoal e empresário do jogador, também participou das conversas e, inclusive, esteve nas Laranjeiras nas últimas terça (7) e quarta-feira (8) para dar prosseguimento ao caso. No Atlético-MG, os vencimentos de Fred serão cerca de R$ 500 mil mensais, uma redução de aproximadamente 30% em relação aos ganhos no time carioca.

A transferência fará Fred realizar um desejo familiar. Pai do jogador, Juarez Guedes nunca escondeu o time do coração e nutria o desejo em ver o filho jogando pelo Atlético-MG.

Antes do acerto confirmado pelo presidente Daniel Nepomuceno na noite dessa quarta (8), o clube tentou a contratação de Fred em outras oportunidades. Como em 2004, quando Fred ainda estava no América-MG, ou em 2009, antes do acerto com o Fluminense. Além das tentativas mais recentes, primeiro em fevereiro e depois em abril de este ano.

O desejo de ficar próximo da família também pesou na decisão de Fred. Em novembro passado, o jogador se casou com a publicitária Paula Armani, que está grávida. A vontade de todos era o retorno a Belo Horizonte. A distância para a filha Geovanna, de outro relacionamento do jogador, também pesou. A garota mora na capital mineira e o calendário do futebol nacional fazia Fred ter menos contato do que o desejado com a filha.

Fred não esconde para os amigos a felicidade em retornar a Belo Horizonte, ficar perto da família e poder vestir a camisa do Atlético, seu clube de coração na infância. A apresentação está marcada para a próxima sexta-feira (10) e, caso seja regularizado a tempo, o jogador pode até estrear contra o Cruzeiro no clássico deste domingo (12), às 16h, no Independência.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir