Esportes

Fred e Levir fizeram trato, mas clima não é dos melhores

Segundo apuração da reportagem, Levir Culpi, inclusive, mostrou até mesmo certo alívio com a ausência de Fred nos treinamentos dessa semana - foto: divulgação

Segundo apuração da reportagem, Levir Culpi, inclusive, mostrou até mesmo certo alívio com a ausência de Fred nos treinamentos dessa semana – foto: divulgação

Fred não sairá do Fluminense. Pelo menos não agora. Após desentendimento com o técnico Levir Culpi, o atacante quis respirar novos ares, mas voltou atrás. Em reunião com o desafeto, chegaram a um acordo para que o atacante seguisse nas Laranjeiras, onde está desde 2009. O trato, no entanto, não exige que ambos sejam amigos ou até mesmo colegas.

A realidade é que o clima não é dos melhores entre os dois e dificilmente o panorama sofrerá qualquer alteração. Segundo apuração da reportagem, Levir Culpi, inclusive, mostrou até mesmo certo alívio com a ausência de Fred nos treinamentos dessa semana. Sempre descontraído, até fez algumas piadas com a situação.

Após a reunião, porém, ambos perceberam que o melhor caminho seria a convivência respeitosa entre as partes. Fred deixou bem claro isso na entrevista coletiva que concedeu nesta quinta-feira após ser reintegrado e ter treinado novamente com os companheiros de Fluminense.

“Ele disse que não teve maldade [Levir reuniu grupo e expôs Fred por discussão com Gustavo Scarpa]. Deu a versão dele e nos acertamos. Na hora da emoção do jogo, já fiz muita coisa que sentado no ar condicionado não faria. Mas você está perdendo, precisa virar e não dá para pedir por favor, com carinho. Isso foi acertado na reunião também. Não tem como eu mudar. Deve haver respeito mútuo. Encaixar e dar tudo certo”, disse Fred em coletiva.

Segundo o jogador, as frequentes substituições feitas por Levir no segundo tempo dos jogos não foi o que motivou o racha. Fred diz que discutiu com Gustavo Scarpa após um jogo e o treinador decidiu fazer uma reunião para cobrar o camisa 9. A medida irritou o capitão que tem bom relacionamento com a garotada do elenco.

Fred vai além. Ele se sentiu traído. Achou que Levir Culpi tinha objetivos por trás e o queria ver fora do Fluminense. Mais do que isso, achava que esse também era o desejo do clube. Acuado, quis deixar as Laranjeiras, mesmo sem achar que essa era a melhor solução. O atacante estava certo. Em determinado momento, a diretoria queria a saída do camisa 9.

E isso só não ocorreu porque as negociações com Atlético-MG e São Paulo emperraram. Os mineiros aceitaram enviar Dátolo até o fim do ano, mas o jogador recusou.

Como o Fluminense só se satisfaria com o argentino, desistiu do negócio. Com o São Paulo, houve falta de acordo de nomes. Os cariocas queriam Michel Bastos, mas os paulistas recusaram e ofereceram Wesley, que não agradou.

Assim, o Fluminense fez jogo duro e afastou qualquer possibilidade de uma negociação rápida. Com medo de ficar parado por muito tempo, Fred recuou e aceitou conversar com o técnico Levir Culpi. Na reunião, houve um trato para que a convivência funcionasse. Nada mais que contato profissional.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir