Meio Ambiente

França vetará produtos ligados ao desmatamento na Amazônia

Ministro francês Nicolas Hulot- Foto: Divulgação

A França vetará importação de produtos ligados ao desmatamento na Amazônia. O plano faz parte do acordo francês votado em dezembro de 2015, que a partir de agora será colocado em prática, conforme explicou o ministro francês da Transição Ecológica Nícolas Hulot. Além da Amazônia estarão vetados produtos do sudeste da Ásia e do Congo.

Hulot afirmou, em coletiva no Ministério, que as ações serão colocadas em prática por etapas. Dentre os produtos ou commodities cujas exportações serão afetadas estão o óleo de palma e a soja, segundo informou a RFI.

“Vamos colocar um fim ao desmatamento importado. Esta decisão é importante porque impede de incorporar esse tipo de óleo nos biocombustíveis”.

Leia também: Contribuições da Noruega ao Fundo Amazônia permitem evitar desmatamento

O compromisso com a neutralidade do carvão também foi ressaltado pelo ministro. Isso significa que, em cada grama emitida de carbono, uma outra será retirada da atmosfera até 2035.

Ele afirmou que, com este objeivo, até 2040, não serão mais comercializados veículos a diesel ou a gasolina. Neste projeto, a população com menor poder aquisitivo terá auxílio para comprar carros elétricos.

A autorização para a exploração de gás natural e petróleo também está com os dias contados em território francês. A produção de eletricidade a base de carvão tem de ser encerrada até 2022, ao mesmo tempo em que haverá cerca de 4 milhões de euros em investimentos para combater a precariedade de energia, principalmente porque o preço da tonelada do carvão subirá para mais de 100 euros.

Hulot afirmou ainda que há planos para uma redução de 50% da parcela nuclear na produção de eletricidade até 2025.

EM TEMPO, com informações de agências

Leia também:

Contribuições da Noruega ao Fundo Amazônia permitem evitar desmatamento

Ministro afirma que desmatamento na Amazônia está em queda neste ano

Desmatamento no Amazonas cresceu 54% em 2016

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir