Mundo

França começa a buscar destroços de avião da Malaysia Airlines na Ilha da Reunião

As operações francesas de busca começaram nesta sexta-feira (7) na Reunião, ilha francesa no Oceano Índico. O objetivo é tentar encontrar mais destroços do avião que fazia o voo MH370, desaparecido em março do ano passado.

Um avião militar do tipo Casa (de carga tático-militar) partiu, ao meio-dia, da Base Militar de Saint-Marie (norte da Reunião) “para fazer buscas em torno da costa da ilha”, disse à agência France Press a comandante Aline Simon.

As autoridades francesas tinham anunciado, nessa quinta-feira (6), o destacamento “de meios aéreos e marítimos suplementares para detectar a eventual presença de novos destroços”, depois da identificação de um fragmento da asa do Boeing 777, do voo MH370 da Malásia Airlines, desaparecido em 8 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo.

“Patrulhas a pé, helicópteros de busca e brigadas náuticas” também vão ser mobilizadas, informou o governo francês.

As condições meteorológicas dificultaram o lançamento da operação esta manhã, devido à chuva no norte e leste da ilha. “As condições não são ótimas para um voo ou para a mobilização de um navio da Marinha”, disseram fontes próximas das autoridades da Reunião.

O município de Saint-André, área onde foram encontrados o fragmento da asa e pedaços de malas, no dia 29 de julho, anunciou que equipes municipais e voluntárias fariam uma busca minuciosa no litoral. As autoridades das vizinhas Ilhas Maurício mantiveram as buscas, iniciadas na segunda-feira (3) a pedido de Kuala Lumpur. Um avião utilizado pela polícia fez duas saídas nessa quinta-feira. Uma terceira saída foi feita por um avião Defender, usado em buscas marítimas, disse uma porta-voz da polícia das Ilhas Maurício.

A área das buscas é imensa, e as equipes francesas deverão concentrar-se na Corrente Equatorial Sul, entre a Austrália e a Indonésia, em direção a Madagascar.

De acordo com vários oceanógrafos, essa corrente teria levado o destroço do MH370 até a Ilha da Reunião.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir