Mundo

França cancela almoço por proibição de vinho à mesa

bandeira-frança

A questão havia sido discutida em novembro, quando estava prevista a visita do iraniano a Paris – foto – divulgação.

O cerimonial da Presidência da França cancelou o almoço previsto do presidente François Hollande e o colega iraniano, Hasan Rowhani, porque a delegação da República Islâmica não permitiu que houvesse vinho à mesa.

A proibição de bebidas alcoólicas é uma exigência das autoridades de Teerã em visitas internacionais. No país, a venda e o consumo de álcool são considerados “crimes contra Deus”, cuja violação reiterada pode levar à pena de morte.

A questão havia sido discutida em novembro, quando estava prevista a visita do iraniano a Paris. O encontro, porém, foi cancelado devido à série de atentados na capital francesa, que deixou 130 mortos.

A intenção das autoridades francesas era apresentar aos visitantes islâmicos uma seleção de vinhos franceses, como é praxe nas visitas dos mandatários estrangeiros, mas esbarrou na proibição iraniana às bebidas alcoólicas.

Na época, a França ofereceu como alternativa um café da manhã juntos entre os dois, que Teerã considerou “muito simples” para um reunião entre os dirigentes. Devido a isso, a refeição foi cancelada.

Isso não impediu, no entanto, que os dois países assinassem contratos de 30 bilhões de euros (R$ 133,8 bilhões) em negócios, como a compra de 118 aviões da Airbus e a reabertura das operações da Peugeot-Citroën no Irã.

Itália

Enquanto a França se recusou a abrir mão do vinho, as autoridades da Itália tiraram a bebida do jantar entre Rowhani, o presidente Sergio Mutarella e o primeiro-ministro Matteo Renzi, na última segunda-feira (25).

O governo italiano também cobriu estátuas com painéis brancos, a pedido das autoridades iranianas. Dentre elas, estava a Vênus Capitolina, estátua de uma mulher nua datada do século 2º antes de Cristo.

De acordo com o jornal italiano “Il Messagero”, o Irã também pediu que a entrevista coletiva de Rowhani e Renzi não fosse realizada diante da estátua equestre em bronze do imperador Marco Aurélio, como havia sido programado -o motivo seriam os genitais da escultura do cavalo.

No Irã, a venda e o consumo de álcool são proibidos para todos os muçulmanos e autorizados em apenas algumas comunidades étnicas e de estrangeiros. No entanto, o consumo de bebida alcoólica é disseminado no país devido ao contrabando.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir