Cultura

Fotógrafo do EM TEMPO recebe menção honrosa no 38º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog

O dia a dia dos ‘piabeiros’ foi retratado em uma série de reportagens especiais no caderno de economia, em abril deste ano - foto Ricardo Oliveira

O dia a dia dos ‘piabeiros’ foi retratado em uma série de reportagens especiais no caderno de economia, em abril deste ano – foto Ricardo Oliveira

O fotógrafo amazonense Ricardo Oliveira foi homenageado pela Comissão Organizadora do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, nesta sexta-feira (7), pelo trabalho fotográfico que ilustrou a matéria ‘Piaçabeiros e Piabeiros, às margens do rio Negro e das leis trabalhistas’. O mesmo trabalho foi vencedor na etapa regional e nacional do Prêmio MPT de Jornalismo, na categoria fotojornalismo.

O Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog é a única distinção jornalística do país onde o júri, composto por 24 pessoas, é aberto ao público. Ao todo, nesta edição, foram inscritos 567 trabalhos nas categorias arte, fotografia, internet, rádio, revista, jornal, documentário – TV e reportagem – TV.

 Ao todo, nesta edição, foram inscritos 567 trabalhos e o fotógrafo do Amazonas Em Tempo foi um dos escolhidos - foto Márcio Melo

Ao todo, nesta edição, foram inscritos 567 trabalhos e o fotógrafo do Amazonas Em Tempo foi um dos escolhidos – foto Márcio Melo

O vencedor da categoria fotografia foi André Lucas Almeida, com o trabalho ‘Repressão Policial contra secundaristas’ do Brasil Post de São Paulo. Nessa etapa de avaliação, o fotógrafo do jornal AMAZONAS EM TEMPO recebeu a menção honrosa ao ser escolhido pelos jurados.

“O prêmio Vladimir Herzog é um prêmio tradicional do jornalismo que externa toda a nossa indignação como jornalista sobre as violações dos diretos humanos do trabalho no Brasil. A gente, em pleno século 21, ainda convive com essas violações quanto ao direito das pessoas. O ineditismo do nosso trabalho no prêmio foi o conteúdo amazônico, inclusive isso foi ressaltado pelos jurados. Que bom que o Norte é premiado, além é claro de receber uma menção de um jornalista morto pelo estado brasileiro na época da ditadura militar. Esse foi o recado que a gente deu após sair da redação, ficar uma semana no meio da Amazônia, para levar a história do nosso povo”, falou Oliveira ao relatar a experiência.

Reportagem e fotografia

O jornalista Emerson Quaresma e Ricardo Oliveira foram à cidade de Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus) onde, por uma semana, presenciaram o cotidiano dos trabalhadores da pesca artesanal, conhecidos como ‘piabeiros’, e do extrativismo da fibra de piaçava, conhecidos como piaçabeiros.

O dia a dia dos ‘piabeiros’ foi retratado em uma série de reportagens especiais no caderno de economia, em abril deste ano.

Portal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir