Economia

Força-tarefa vai fiscalizar produção e venda de itens de origem animal no AM

Termo de Cooperação Técnica que cria a fiscalização conjunta de 19 instituições federais, estaduais, municipais e civis com abrangência no Amazonas foi formalizado nesta segunda (18) – foto: divulgação

Termo de Cooperação Técnica que cria a fiscalização conjunta de 19 instituições federais, estaduais, municipais e civis com abrangência no Amazonas foi formalizado nesta segunda (18) – foto: divulgação

Representantes de 19 órgãos – entre federais, estaduais e municipais –, além de entidades civis atuantes em Manaus firmaram, nesta segunda (18), um Termo de Cooperação Técnica para fiscalizar a produção e venda de produtos de origem animal no Amazonas.

A iniciativa é do Ministério Público Federal do Amazonas (MPF/AM) e o evento ocorreu no auditório do prédio anexo do órgão, situado na avenida Efigênio Sales, 1.570, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul da cidade. Participaram instituições ligadas às áreas de meio ambiente, segurança, saúde e vigilância sanitária

Entre os objetivos do documento está o de fiscalizar o cumprimento da Instrução Normativa Interministerial nº 06/2014, que instituiu a moratória da pesca e comercialização da piracatinga em o todo território nacional pelo prazo de cinco anos, e combater o abate e o comércio irregular e clandestino de bovinos no Amazonas.

Serão criados dois planos de trabalho. Um para combater o abate clandestino de gado e outro para o pescado. As ações já começam a entrar na fase de planejamento a partir desta terça-feira (19), com a primeira reunião após a assinatura do Termo.

“Cada órgão tem a sua importância. A ideia é abordar o problema através de vários focos distintos de atuação. E por conta disso alcançar resultados bem claros, como: erradicar o abate clandestino de gado no Estado e garantir que a moratória venha a ser cumprida de fato na prática”, explicou o procurador da República, Rafael da Silva Rocha, autor da nova proposta do acordo de cooperação técnica.

“Nosso maior patrimônio é a nossa biodiversidade. Então é fundamental essa sinergia entre os órgãos que têm competência para fiscalizar não só o cumprimento da lei. Mas também, a atuação das empresas licenciadas tanto as que exploram o pescado, como as que fazem abate de gado”, emendou a diretora-presidente do Ipaam, Ana Eunice Aleixo.

Além do MPF/AM, concordaram em aderir ao acordo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), Ministério Público do Trabalho (MPT), Secretaria do Estado da Fazenda (Sefaz), Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP/AM), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Conselho Regional de Medicina Veterinária em Manaus (CRMV/AM), Superintendência Federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), Fundação de Vigilância Sanitária do Amazonas (FVS), Comissão do Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Associação Amigos do Peixe-Boi (Ampa), Procon Amazonas e Associação Amazonense de Municípios.

Volta do SIM

Durante o evento, o titular da Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo, Abastecimento, Feiras e Mercados (Semtef), David Valente Reis, anunciou que a Prefeitura de Manaus está reativando o Serviço de Inspeção Municipal (SIM) para combater abatedouros clandestinos.

O secretário municipal disse que, por conta disso, a partir deste mês, o Executivo municipal vai contratar veterinários e atendentes para receber denúncias de abatedouros clandestinos e produtos manipulados de forma errada.

O SIM foi criado em 2010 e é responsável pela inspeção e fiscalização de estabelecimentos que produzem e manipulam alimentos de origem animal e derivados como indústria de embutidos, defumados e queijos. Também atua em abatedouros que possuam Registro na Inspeção Municipal, concedido pela Semtef.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir