País

Foragido de operação sobre avião que caiu com Campos é encontrado morto

Único foragido da operação Turbulência, deflagrada terça-feira (21) pela Polícia Federal, Paulo Cesar de Barros Morato foi encontrado morto na noite desta quarta-feira (22), em Pernambuco. O corpo do empresário foi localizado por agentes da PF em um motel na cidade de Olinda.

Segundo a PF, Morato seria o real proprietário da empresa Câmara & Vasconcelos, envolvida na compra do avião Cessna Citation PR-AFA. A aeronave transportava o ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência em 2014 Eduardo Campos (PSB) e caiu em Santos, no litoral paulista, em agosto de 2014, matando Campos e mais seis pessoas.

O empresário era suspeito de fazer parte de um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a compra do avião que caiu, e também pode ter servido para irrigar a campanha presidencial da chapa de Campos e Marina Silva em 2014, além da eleição para governador dele em 2010.

Por meio de nota, a PF informou que as investigações sobre a morte do empresário ficarão a cargo da Polícia Civil de Pernambuco. Suicídio é uma das hipóteses investigadas pela polícia.

“Se porventura durante o percurso das investigações alguma circunstância aponte vínculos ou tenha ligação com os fatos que estão sendo apurados dentro da operação Turbulência, poderemos entrar no caso”, diz o texto da PF.

Durante a operação Turbulência foram detidos os empresários João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, Eduardo Freire Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira. Eles são donos do Cessna Citation PR-AFA. Foi a partir do avião que a PF descobriu operações suspeitas na conta de empresas envolvidas na sua aquisição.

O PSB nega irregularidades na arrecadação da campanha de 2014. A reportagem não conseguiu localizar os advogados dos empresários presos.

Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir