Dia a dia

Foragida da Justiça de Roraima é presa em Rio Preto da Eva

A mulher estava sendo procurada pela polícia desde 2009 - foto: divulgação

A mulher estava sendo procurada pela polícia desde 2009 – foto: divulgação

A foragida da Justiça Aldenora Nunes Pereira, 53, foi presa  no município de Rio Preto da Eva (a 57 quilômetros da capital), por envolvimento com o furto de roupas em Boa Vista, em Roraima. A prisão ocorreu no último sábado (16), por uma equipe da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP).

De acordo com o delegado titular da DECP, Geraldo Jorge Eloi, a mulher estava sendo procurada pela polícia desde 2009. “Os policiais que atuam na 32ª DIP foram acionados para atender uma ocorrência de furto no lugar. Eles abordaram Aldenora, que estava sendo acusada pelo crime, e a conduziram à delegacia. Na unidade policial foi feito pedido à equipe da DECP, em Manaus, para que realizasse consulta minuciosa ao nome dela. Foi quando constatamos no nosso sistema  mandado de prisão em nome de Aldenora, expedido em 2009”, explicou.

Conforme a autoridade policial, a mulher já havia sido presa em Boa Vista, em 2009, por furto qualificado, mas, na época, acabou sendo beneficiada com liberdade provisória, que posteriormente foi revogada, ainda naquele mesmo ano. “Desde a revogação da liberdade provisória ela passou a ser considerada foragida e em função do trabalho realizado pelos policiais civis do Amazonas foi possível identificar a existência desse mandado em nome dela”, declarou Eloi.

Em depoimento aos policiais civis, Aldenora disse que estava morando em Manaus há bastante tempo e que já havia sido presa na capital do Amazonas em 1984, por envolvimento com o tráfico de drogas. Ela argumentou que estava em Rio Preto da Eva comprando frutas no momento em que foi abordada pelos policiais civis.

O mandado de prisão em nome dela foi expedido pela Vara de Registros Públicos e Precatórios do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ-AM), no dia 30 de junho de 2009. Após os procedimentos legais na delegacia, a infratora será conduzida ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde irá aguardar  decisão da Justiça.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir