Sem categoria

Fontes diz que é cedo para ligar mortes de PM e detento a série de homicídios em Manaus, mas não descarta possibilidade

Secretário diz que prioridade é descobrir quem são os autores da séria de assassinatos - foto: Narel Desiree

Secretário diz que prioridade é descobrir quem são os autores da série de assassinatos – foto: Narel Desiree

Após a série de 21 homicídios registrados em Manaus durante a noite de sexta-feira (17) e madrugada deste sábado (18), o titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Sérgio Fontes, disse que ainda não é possível afirmar se o fato está ou não ligado aos assassinatos do sargento da Polícia Militar Afonso Camacho Dias e do detento Hudson de Souza Lopes, o ‘Gigante’, ocorridas na tarde de sexta-feira (17). Ele garantiu, no entanto, que os órgãos competentes estão investigando os casos para chegar a uma conclusão satisfatória e que os responsáveis serão identificados e punidos.

“As investigações é que vão esclarecer os fatos. Tudo pode ter acontecido. Pode ser que tenha a ver com a morte do sargento ou não. Pode ser que estes crimes sejam motivados por brigas de quadrilhas em decorrência dessas mortes ocorridas no sistema prisional. Enfim, ainda não temos nada de concreto para afirmar, mas temos a plena convicção de que vamos solucionar todos estes casos”, salientou.

A afirmação foi feita durante coletiva de imprensa, às 17h30, na sede da SSP-AM, localizada na avenida Torquato Tapajós, Zona Norte da capital, após reunião do secretário com o comandante geral da PM, coronel Gilberto Gouvêa e o delegado geral da Polícia Civil, Orlando Amaral.

De acordo com Fontes, a prioridade agora é descobrir quem são os autores do assassinato do sargento da PM, morto durante um assalto à agência Bradesco, situada no bairro Educandos, Zona Sul, assim como solucionar os demais homicídios na sequência.

“Estamos tentando fazer o nosso trabalho, que é diminuir a criminalidade no Estado, especificamente na capital. Nos comprometemos a esclarecer todos os casos. Ainda não temos como interligar os eventos, já que nada foi comprovado. Portanto, vamos trabalhar rigorosamente para chegar aos autores desses crimes e puni-los conforme requer a lei”, afirmou o secretário.

Ainda conforme Fontes, quem quer que seja o responsável por estes crimes e qualquer que tenha sido a motivação, tudo será esclarecido. “Das últimas vezes que crimes como estes envolvendo homicídios e latrocínios ocorreram na capital, respectivamente, todos eles foram solucionados”.

Em resposta aos EM TEMPO Online sobre a possibilidade do envolvimento de policiais militares na série de crimes e os procedimentos tomados, caso comprovada tal cogitação, o secretário assentuou que todas as medidas cabíveis serão tomadas e que os autores serão responsabilizados e punidos.

Fontes ainda ressaltou que uma boa parte das vítimas têm ligação com o tráfico e demais tipos de crimes, mas acrescentou que isso não diminui a importância de solucionar tais homicídios, seus respectivos autores e motivações.

Na ocasião, o comandante geral da PM, coronel Gilberto Gouvêa, afirmou que o policiamento foi intensificado na capital, em decorrência da 19ª edição da ‘Operação Presença’. “A partir de 13h deste sábado (18), aproximadamente 700 policiais militares foram colocados à disposição para realizar o patrulhamento nas ruas e atender as ocorrências, garantindo maior segurança à população”, informou.

Ainda segundo o comandante, esta operação estará em continuidade durante todo o fim de semana, sendo fechamento sendo na segunda-feira (20).

De acordo com o delegado geral, Orlando Amaral, a Polícia Civil está se empenhando arduamente nas investigações. “Buscamos apurar e verificar com cautela a motivação e a ligação destes crimes. Vamos trabalhar em ação conjunta com a SSP e a PM para esclarecermos tais situações”, disse.

Homicídios

Ainda conforme Fontes, quatro dos homicídios registrados já foram solucionados como brigas de bar. Os respectivos autores, que não tiveram as identidades reveladas, já foram presos e autuados pelos crimes efetuados.

“No entanto, sabemos que três veículos estão envolvidos nestas ocorrências, sendo dois carros e uma motocicleta, ambos de modelo e placas não reveladas. Também é possível que sete desses homicídios tenha algum tipo de ligação com a morte do detento ‘Gigante’, mas ainda são informações superficiais que serão apuradas durante as investigações”, disse.

No geral, contando com as duas primeiras mortes, foram 23 homicídios sequenciais. Cinco foram registrados na Zona Sul, sendo dois no bairro do Educandos, dois no São Francisco e um na Colônia Oliveira Machado. Na Zona Oeste teve seis homicídios, sendo dois no Tarumã, três na Compensa e um no Santo Antônio.

A Zona Leste registrou sete homicídios: três no Zumbi dos Palmares, dois no Gilberto Mestrinho, um no Jorge Teixeira e um no Armando Mendes. A Zona Norte registrou três, sendo um em cada bairro: Novo Israel, Nova Cidade e Santa Etelvina. Na Zona Centro-Sul, dois homicídios foram registrados, um no Aleixo e um no Adrianópolis.

Por Narel Desiree

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir