Cultura

Filme produzido por cineasta brasileiro vence prêmio em Cannes

“Paulina”, coprodução entre Brasil, Argentina e França, remake do filme argentino “La Patota” (1960), foi a grande vencedora da Semana da Crítica, mostra paralela de Cannes. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (21).

O filme dirigido pelo argentino Santiago Mitre (“O Estudante”) e produzido pelo cineasta brasileiro Walter Salles teve todas as sessões lotadas no Espaço Miramar.

O filme é sobre uma advogada (Dolores Fonzi) que decide largar a carreira para ensinar garotos pobres em Misiones, na Tríplice Fronteira, quando é estuprada por alguns alunos. Ela decide não prestar queixas, levantando questões sociais controversas.

Walter Salles soltou uma nota dizendo que a vitória na Semana da Crítica “é uma grande alegria para o cinema latino-americano”.

“É um tributo ao talento singular de Santiago e à atuação impressionante de sua atriz principal, Dolores Fonzi”, escreveu Salles. “Esse prêmio também tem uma importância simbólica num ano em que nosso cinema foi menos presente em Cannes do que poderia, e prova que a cooperação na produção entre Brasil e Argentina criada pela Ancine é um acerto.”

“Paulina” desbancou produções como o filme palestino “Degrade”, de Arab e Tarzan Abunasser, e o americano “Krisha”, de Trey Edward Shults.

O cinema latino-americano, que teve pouca presença na seleção oficial, também foi premiado com “La Tierra y la Sombra”. O longa do colombiano Cesar Acevedo levou dois prêmios: o France 4 Visionary Award (para um filme que “reflete a paixão e o entusiasmo de promissores novos críticos para jovens realizadores”) e o SACD, concedido pela Sociedade de Autores.

O afegão “The Wakhan Front” levou o Gan Foundation Support, que ajuda o filme na distribuição em território francês.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir