Dia a dia

Filho é baleado após família ser mantida de refém na Zona Leste

Houve perseguição policial, assim como o quarto suspeito que foi atingido por disparos de arma de fogo. Ele foi encaminhado para o pronto-socorro João Lúcio – Arthur Castro

Uma família foi feita refém na tarde desta quarta-feira (17), durante um assalto na borracharia da mesma, localizada na avenida Agnelo Bittencourt, bairro Nova Vitória, Zona Leste. Na ocasião, três suspeitos, entre eles dois adolescentes de 14 e 17 anos, invadiram a residência armados, renderam o proprietário, o amarraram em uma cadeira e apontaram armas na cabeça das vítimas. Um filho do dono da borracharia, um estudante de 22 anos foi baleado na barriga e segue internado.

De acordo com o cabo Maciel, da 4ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os envolvidos se aproximaram em um veículo modelo Corsa preto de placa não identificada e anunciaram o assalto. O suspeito Nivaldo Picanço de Oliveira, 39, foi detido e um outro suspeito, não identificado, também foi baleado.

“Entendemos que dois ficaram no veículo e os outros três renderam a família, mas no momento da fuga, foram abandonados pelos comparsas que aguardavam no carro. Foi quando roubaram uma motocicleta modelo Honda de placa NOP 0660 para fugir e um deles acabou baleado”, disse.

Passando momentos de terror com uma arma na cabeça, a dona de casa Rozevândia Alves de Lima, 44, afirmou que os suspeitos ainda conseguiram roubar pertences pessoais da casa. “Levaram a renda da borracharia, celulares, joias e ainda atingiram o meu filho na barriga, pois eles achavam que ele iria reagir. Meu marido conseguiu se soltar da cadeira que estava amarrado e eles fugiram em uma moto que conseguiram roubar já que os comparsas não ajudaram eles na fuga”, lamentou.

Houve perseguição policial e equipes da 4ª Cicom conseguiram deter os envolvidos, assim como o quarto suspeito que foi atingido por disparos de arma de fogo. Ele foi encaminhado para o pronto-socorro João Lúcio, na mesma zona e o quadro de saúde não foi informado. Os outros suspeitos, assim como as vítimas, estavam na sede do 4º Distrito Integrado de Polícia (DIP) prestando depoimento até a publicação desta matéria.

Luis Henrique Oliveira

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir