Sem categoria

Filha é presa após matar o pai com 13 facadas em Manaus

A vítima foi encontrada morta com mãos e pés amarrados por volta das 11h desta terça-feira - foto: divulgação

A vítima foi encontrada morta com mãos e pés amarrados por volta das 11h desta terça-feira – foto: divulgação

 

O serralheiro Kedson Barbosa da Silva, 41, conhecido como ‘Cabeludo’, foi assassinado com 13  golpes de faca, no fim da manhã desta terça-feira (9), pela própria filha, identificada como Kimberly Keicy de Jesus da Silva, 19, que foi presa ainda na tarde de hoje no local do crime.

O corpo de Kedson foi encontrado na residência dele por volta das 11h, na rua Palermo, bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus.

Um amigo  e colega de trabalho da vítima, Hiago dos Santos Cardoso, 23, que encontrou o corpo, disse ao EM TEMPO Online que Kedson estava de bruços, com mãos e pés amarrados, na sala de estar da residência. “Eu sempre venho  aqui (residência de Kedson) visitá-lo  no horário do almoço e depois seguir juntos para o trabalho. Mas hoje, assim que entrei, o encontrei morto e chamei os vizinhos  de imediato”, disse.

O corpo de Kedson foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) - foto: Josemar Antunes

O corpo de Kedson foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) – foto: Josemar Antunes

Conforme Hiago, a filha estava morando com o pai há três dias. “Ela havia fugido da casa da mãe e pediu para morar com o pai. Até agora, não sabemos a motivação do crime, já que nunca vi algo de errado entre eles, mesmo a Kimberly o tratando com grosseria”, contou Hiago.

Moradores informaram que a filha ainda chegou a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas o pai já estava morto. A suspeita chegou a pedir um mototáxi para fugir para o bairro João Paulo, na Zona Leste, mas foi impedida por populares, que acionaram a polícia.

Após confessar que matou o pai, Kimberly  foi presa e levada para DEHS - foto: Josemar Antunes

Após confessar que matou o pai, Kimberly foi presa e levada para DEHS – foto: Josemar Antunes

Uma moradora, que preferiu não se identificar, afirmou que Kimberly mantém um relacionamento homoafetivo com uma mulher e o pai não aceitava, o que pode ter motivado o assassinato.

“Ontem,  Kimberly estava  muito estranha no trabalho do pai. Ele chegou a perguntar o que ela tinha, mas a jovem respondeu atravessado: não te interessa. O pai sempre a tratava com carinho e nunca deixou faltar nada para a filha”,  disse a testemunha.

A suposta namorada da assassina ainda não foi identificada. A polícia acredita que Kimberly  iria esquartejar o pai e depois enterrá-lo quintal, dentro de uma mala.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, a filha confessou ter cometido o crime e os motivos que a levaram a matar o pai.

“A Kimberly já confessou o crime e deu detalhes da dinâmica, mas negou a participação de outras pessoas. Em todo o caso, já iniciamos as investigações e acreditamos  que outra pessoa tenha  amarrado os braços e pernas da vítima, devido a precisão dos nós”, adiantou o delegado.

De acordo com a perícia criminal do Instituto de Criminalística (IC), da Polícia Civil, a vítima foi golpeada 13 vezes: sete perfurações ocorreram no tórax, cinco no pescoço e uma que varou a mão direita.

A DEHS fará uma apresentação da ação criminosa nesta quarta-feira (10), às 9h30, onde a polícia dará mais detalhes do caso.

Por Josemar Antunes (especial EM TEMPO Online)

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir