Sem categoria

‘Ficante’ de jovem esquartejada diz que não a matou, ‘apenas pegou as facas’ para cortá-la

Ele foi autuado por homicídio qualificado e por ocultação de cadáver - foto: Márcio Melo

Ele foi autuado por homicídio qualificado e por ocultação de cadáver – foto: Márcio Melo

O ex-presidiário Franklin da Silva Conceição, 20, foi apresentado na manhã desta quinta-feira (19) na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), como um dos autores do homicídio que vitimou a jovem Ana Carolina Nascimento dos Santos, 18. Ela teve partes dos membros encontrados no dia 8 deste mês, na margem do rio Negro, bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus.

De acordo com o titular da DEHS, delegado Ivo Martins, Frankilin era ‘ficante’ de Ana Carolina e o mentor do crime foi um adolescente de 17 anos, filho de um traficante identificado como Marcos Capucho, que ainda não foi localizado.

Ainda de acordo com o delegado, no dia do crime, o adolescente estava com Franklin em via pública e mandou que chamasse a jovem para consumir entorpecente com eles numa casa localizada no bairro Novo Aleixo, Zona Norte da cidade.

“Ela aceitou e foi com os suspeitos para a residência. No momento que eles estavam todos drogados, o adolescente falou para a Ana Caroline que queria praticar sexo com ela e era para fazer com todos eles ao mesmo tempo. A jovem, porém, se negou e deu tapa no rosto dele, o que o deixou irritado. Neste momento, ele efetuou a primeira facada nela”, disse o delegado.

Conforme a polícia, após matarem a jovem, o adolescente mandou o Frankilin ir pegar faca e terçado na casa da mãe dele para ajudar a esquartejar o corpo da moça.

“Após o Franklin chegar com as facas e terçados, eles começaram o esquartejamento, na intenção de ocultar o cadáver. Depois que fizeram todo o ‘serviço’, eles enrolaram as partes do corpo em lençol, roubaram um taxi e foram até ao igarapé onde jogaram todas as partes no rio”, explicou Martins.

Em depoimento, o suspeito falou que apenas presenciou o crime, mas se contradiz quando é perguntado quem foi pegar as facas para realizar o esquartejamento.

“Eles a mataram porque ela não queria fazer sexo com eles. Ela ainda chegou a gritar pelo meu nome, mas eu não podia fazer nada, eu não a matei, apenas fui pegar a faca para esquarteja-la”, falou o suspeito.

Ivo Martins falou que, ao todo, sete pessoas participaram do crime, sendo que três deles são adolescentes.  Além de Franklin, um menor já foi detido e encaminhado à Delegacia Especializa em Apurações de Atos Infracionais (Deaai). Os outros suspeitos continuam foragidos.

Ele foi autuado por homicídio qualificado e por ocultação de cadáver. Após os procedimentos cabíveis será encaminhado a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital.

Veja o vídeo:

Por Mara Magalhães

Com informações de Ana Sena

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir